“Belivaldo Chagas enquanto você não negociar o reajuste do piso do magistério da rede estadual, não vamos sair da sua porta”

Escrito por Caroline Santos Ligado .

ato 20fev19

Essa foi a palavra de ordem dos professores e professoras da rede estadual no ato pelo reajuste do piso finalizado em frente ao Palácio de Despachos. O magistério foi cobrar do governador audiência para tratar não só do reajuste de 4,17% estabelecido para o ano de 2019, mas também a continuidade da reconstrução da carreira.

“O magistério da rede estadual está mobilizado para a luta e Belivaldo Chagas enquanto você não negociar o reajuste do piso do magistério da rede estadual, não vamos sair da sua porta”, disse o professor Joel Almeida, diretor de Comunicação do SINTESE.

Os professores e professoras começaram a cobrança pelo reajuste do piso, em frente à Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura - SEDUC. Também denunciaram que apesar da mudança do titular da pasta, a política de desmonte da Educação continua.

“Saiu Jorge Carvalho, entrou Josué Passos, mas a política continua a mesma. Fechamento de turmas, de escolas, redução de matrícula, implantação do ensino médio em tempo integral sem diagnóstico, todas essas ações que levaram a rede estadual ao caos que é hoje”, aponta a presidenta do SINTESE, Ivonete Cruz.

Crise é fake

Tanto na SEDUC quanto no Palácio de Despachos, o SINTESE questionou sobre a crise financeira propagandeada pelo governo do Estado.

"As receitas do estado crescem. Há condições de assegurar o reajuste do piso salarial aos professores e professoras da rede Estadual. Este é o menor percentual de reajuste que já tivemos, 4,17%. A conta é muito simples: Receita do estado cresce; reajuste do piso de 2019 é 4,17% e o piso salarial é Lei. Ou seja, tá muito fácil de resolver essa conta, Belivaldo", cobra a presidenta do SINTESE, professora Ivonete Cruz.

Acionou o TCE

O sindicato solicitou ao Tribunal de Contas que faça uma tomada especial de contas para averiguar se realmente o Estado de Sergipe está em crise financeira.

Assembleia

A categoria terá assembleia no próximo dia 26, às 15h no Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, na pauta: eleições do SINTESE, luta pelo reajuste do piso e da retomada da carreira do magistério.