“É necessário que o Governo do Estado não dê um passo para atrás na carreira do magistério”

Escrito por Caroline Santos Ligado .

Na audiência com o governador Belivaldo Chagas, a presidenta do SINTESE, professora Ivonete Cruz destacou que é fundamental o cumprimento da lei do piso do magistério e que o reajuste do piso para 2019 de 4,17% seja implementado na carreira. Sob o risco do processo de reconstrução da carreira do magistério iniciado em dezembro de 2018 tenha um retrocesso.

“O reajuste do piso de 2019 (4,17%) é o menor desde a implementação da lei do piso em 2008 e ele precisa ser aplicado na carreira, pois é necessário que o governo do Estado não dê um passo para trás na carreira do magistério”, aponta a presidenta do SINTESE.

O professor Joel Almeida, diretor de Comunicação do SINTESE, solicitou que o Governo do Estado alterasse uma cultura dos últimos governos, que era de sempre no início de governo reter direito do magistério para só no último ano negociar. A sociedade rejeitou esse modelo. Ressaltou também que era preciso que Belivaldo estabelecesse um processo de confiança no magistério, e isso passa por pagar o percentual de revisão de piso para todos esse ano.

A direção do sindicato e o deputado estadual Iran Barbosa cobraram do Governo do Estado dados mostrando qual o impacto financeiro do reajuste de 2019, pois o mês de março já finda e até agora o governo não apresentou quaisquer números.

Ficou acertado que a Secretaria de Administração irá realizar estudos e na próxima semana irá apresentar os dados ao SINTESE e após isso uma nova audiência com o governador será marcada.