Belivaldo Chagas diz que pagará reajuste do piso salarial de 2019 a professores e professoras

Escrito por Luana Capistrano Ligado .

Em assembleia unificada das redes estadual e municipais de ensino, ocorrida na última quarta-feira, 19, no Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, em Aracaju, a presidenta da SINTESE, professora Ivonete Cruz, informou aos presentes sobre audiência ocorrida na terça-feira, 18, com o Governador Belivado Chagas. Em pauta: o pagamento do reajuste do piso salarial de 2019 para todos e na carreira.

IMG 20190621 WA0021

A presidenta do SINTESE colocou que o governador, durante a audiência, assegurou que pagaria o reajuste do piso salarial de 2019, ainda este ano, retroativo a janeiro. Além do pagamento do piso, o governador disse ainda que está buscando recursos para pagar de forma integral o 13º salário aos professores e professoras, em dezembro, sem qualquer parcelamento.

Belivado Chagas garantiu que até o dia 10 de julho voltaria a se reunir com o SINTESE para discutir o pagamento do reajuste do piso salarial  ao magistério e do 13º salário.

Vale ressaltar que o reajuste do piso salarial para o ano de 2019 é de 4,17%, o reajuste mais baixo desde a criação da Lei Federal 11.738/2008, que assegura o pagamento do piso salarial a professores e professoras da rede pública, de todo o Brasil, anualmente, no mês de janeiro.

“Após muita luta e pressão por parte do SINTESE o governador, Belivaldo Chagas, nos recebeu em audiência e se comprometeu a pagar o reajuste do piso salarial de 2019, retroativo a janeiro. Mas não basta apenas que o governador nos diga que vai reajustar o piso salarial é necessário que ele coloque para nós uma data, um prazo de quando o reajuste será pago aos professores. É isso que esperamos da próxima audiência”, enfatiza a presidenta do SINTESE.

Os professores e professoras deliberaram uma nova assembleia, assim que a audiência com o governador, Belivaldo Chagas, ocorrer. A presidenta do SINTESE fez questão de deixar claro, que caso a audiência não ocorra até o dia 10 de julho, como se comprometeu o governador, uma nova assembleia será convocada mesmo assim, para que a categoria delibere ações de luta.

“Esperamos que o governador cumpra o que disse e nos receba até o dia 10 de julho, mas caso isso não ocorra, faremos uma nova assembleia para traçar ações de luta pela garantia do reajuste do piso salarial e pela retomada da carreira do magistério. Seguiremos em luta sempre”, afirma a professora Ivonete Cruz.

Congresso CUT

Os professores e professoras deliberam também que serão realizadas assembleias regionais para eleger delegados e delegadas para o Congresso Estadual da Central Única dos Trabalhadores (CUT).

CAE

Ainda, durante a assembleia, foram eleitas as novas representantes do Conselho de Alimentação Escolar (CAE). A partir de agora, as professoras Edinalva Mendes e Elvira Rocha representarão o SINTESE no Conselho