Prefeitura de Malhador parcela salários do magistério

Escrito por Caroline Santos Ligado . Publicado em Redes Municipais


Pelo quarto mês consecutivo a Prefeitura de Malhador parcela o salário dos professores. Desde janeiro que a prefeita Elayne Araújo (Elayne de Dedé) tem feito o pagamento do magistério em duas parcelas. Esse mês só pagou 60% dos salários. A justificativa da administração é a falta de recursos e que já gasta 68,6% da Receita Corrente Líquida com folha de pagamento.

Mas o sindicato fez análise das receitas e despesas (com base na folha de pagamento de dezembro de 2017) da Educação no município e constatou que há um grande número de contratos e cargos comissionados o que, consequentemente, acaba “inchando” a folha de pagamento. Caso os contratos e cargos comissionados sejam extintos o gasto cai para 53,7%.

“A administração municipal não corta despesas, e quem acaba pagando a conta disse são os professores que fizeram concurso público e são funcionários efetivos. É incoerente dizer que não tem dinheiro para pagar os professores e manter os contratos e cargos comissionados”, afirma José Luiz, professor da rede municipal de Malhador.

Enquanto os professores recebem pouco mais da metade dos salários, o município anuncia para o próximo domingo uma grande festa.

“Não negamos a importância da cultura, da arte e do lazer, mas festejar enquanto parcela o salário do educadores não é atitude de uma administradora que, a época da campanha, dizia que ia valorizar a Educação”, aponta Nadja Milena, da coordenação da subsede Agreste do SINTESE.