Professores e professoras de Muribeca na luta por direitos

Escrito por Caroline Santos Ligado . Publicado em Redes Municipais

Sexta é dia de feira livre na cidade de Muribeca e foi hoje, 19, que os professores e professoras da rede municipal foram às ruas dialogar com a população sobre os vários problemas causados pela má administração do prefeito Fernando Franco Neto no que diz respeito à Educação.

Valorização do magistério
Valorizar os professores e professoras é investir na educação e no futuro das crianças e jovens de nosso município. Mas infelizmente não é assim que o prefeito da nossa cidade pensa.

Os professores e professoras não sabem mais o que é receber o salário em dia. Todo mês é uma data diferente.

O Plano de Carreira e o Estatuto do Magistério são ferramentas fundamentais para assegurar a valorização e os direitos dos professores e professoras. Em Muribeca ambos estão desatualizados. O SINTESE já apresentou propostas, mas ambos estão desatualizados.

A prefeitura está devendo aos professores retroativos do piso salarial dos meses de janeiro a maio, dos últimos 5 anos (2014 a 2019). Ao longo destes 5 anos o prefeito, Fernando Neto, paga o reajuste do piso aos professores no mês de junho, antes da Festa de São Pedro, para poder dizer ao povo de Muribeca, que reajustou os salários dos professores.

No entanto, o reajuste dever ser pago mês janeiro (conforme estabelece a Lei Federal 11.738/2008), ou seja, desde 2014 o prefeito deixa de pagar o reajuste salarial dos professores nos primeiros 5 meses do ano e depois “faz de conta” que esta dívida com os professores não existe.

Isso sem contar com o pagamento das férias (1/3 e 1/6) com descontos ilegais. É preciso que o município corrija os erros e pague o direito conforme estabelecido por Lei.

Estrutura das escolas é precária
O município conta hoje com 12 escolas e elas não garantem uma estrutura digna de ensino e aprendizagem para as crianças e jovens. Os prédios precisam de reforma e a prefeitura precisa garantir material didático. Educação é investimento, não gasto.

Os veículos que fazem o transporte escolar não tem a manutenção realizada regularmente. Quando o município não garante este cuidado nos ônibus que levam crianças à escola a administração está sendo negligente, colocando em risco a integridade física e a vida de todas e todos.

Excesso de contratos
O excesso de funcionários contratados pela prefeitura é algo que prejudica as contas do município e faz com que a prefeitura deixe de investir em educação, saúde e infraestrutura da nossa cidade. E quem paga a “conta” é o povo de Muribeca.