Imprimir

Professores paralisam atividades e participam de grande ato no dia 16 de agosto

Escrito por Luana Capistrano Ligado . Publicado em Rede Estadual

Em assembleia geral ocorrida nesta quarta-feira, 9, no Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, professores e professoras da rede estadual deliberaram por paralisar suas atividades e participar de grande ato em defesa do servidor público, no dia 16 de agosto, com concentração na Assembleia Legislativa, às 9h.

O ato será conduzido pela Central Única dos Trabalhadores (CUT). Professores e professoras irão somar-se aos demais servidores estaduais, que também paralisam suas atividades neste dia, na luta por valorização e contra a política de desestruturação e retirada de direitos dos servidores públicos.

Desde o início de sua gestão o governador Jackson Barreto não reajusta o salário dos servidores estaduais. O desrespeito e o descaso por parte do gestor estadual também é dado aos servidores aposentados e aposentadas que sofrem, desde 2015, com os constantes atrasos no pagamento de seus proventos de aposentadoria.

“A política de Jackson Barreto é de destruição do servidor público. É uma política de maldades que atinge, a nós professores e professoras, da ativa e aposentados. Por isso, a hora é agora!  Vamos ocupar as ruas para fazer luta e resistência contra o governo Jackson Barreto, que sem nenhum pudor segue a linha do governo golpista de Michel Temer e massacra os trabalhadores de Sergipe. No dia 16 de agosto, servidores e servidoras, da ativa e aposentado,  farão enfrentamento direto a Jackson Barreto, em uma só voz, nas ruas, vamos desmascara a sua política nefasta”, convoca a presidenta do SINTESE, professora Ivonete Cruz

Empobrecimento de professores e professoras

Os professores e professoras da rede estadual, da ativa e aposentados, amargam 4 anos (2012,2015,2016 e 2017) sem receber o reajuste do piso salarial. Esta política de desvalorização, que tem sido a marca do Governo Jackson Barreto ao longo de seu mandato, gerou empobrecimento da categoria. Com seus salários congelados, ao longo de todos estes anos, professores e professoras estão entre 40 e 65 por cento mais pobres.

Não satisfeito com tal massacre, o governador Jackson Barreto, ainda tem capitaneado uma política nefasta de destruição da carreira do magistério público estadual. Atualmente um professor da rede estadual de ensino com 1 ano ou com 30 anos de carreira recebem o mesmo de vencimento inicial: R$ 2.298, 80. Além disso, hoje não há diferença de salarial entre um professor que fez apenas o nível médio e um professor que fez mestrado e possui nove anos de carreira. Eles recebem o mesmo vencimento inicial: R$ 2.298,80

As medidas cruéis de Jackson Barreto atingem também professores e professoras aposentadas, que sofrem com o constante atraso pagamento de seus proventos de aposentadoria. Nos meses de maio e junho não satisfeito em pagar com atraso, fora do mês, o governo do estado ainda parcelou o pagamento dos aposentados em duas vezes. Até a presente data professores e professoras aposentadas não receberam seus proventos referentes ao mês de julho.

A previsão é que o governo do estado pague parte do salário dos aposentados, referente ao mês de julho, no dia 13 de agosto. Mais uma vez os proventos serão parcelados, o governo pagará até R$ 3 mil, no dia 13, e o restante do pagamento não há previsão de quando será feito.

XVI Congresso Estadual de Educação

Outro ponto de pauta tratado durante a assembleia foi o XVI Congresso Estadual de Educação, que acontece entre os dias 08 de 11 de novembro, no Iate Clube, em Aracaju. Durante os informes a presidenta do SINTESE colocou que as eleições para delegados já estão sendo feitas nas escolas e seguem até o mês de outubro.

O pré-congresso de Aracaju acontece no dia 07 de outubro, no Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe. Os demais pré-congresso, em outras regiões do estado, terão suas datas divulgadas ainda no mês de agosto.