Imprimir

SINTESE tem audiência com Sergipeprevidência para tratar dos recursos do fundo e revisão nos proventos

Escrito por Caroline Santos Ligado . Publicado em Rede Estadual

Dirigentes do SINTESE questionaram o Sergipeprevidência sobre revisão de proventos e uso dos recursos do FUNPREVDirigentes do SINTESE questionaram o Sergipeprevidência sobre revisão de proventos e uso dos recursos do FUNPREV

O vice-presidente do SINTESE, Roberto Silva dos Santos e a diretora do Departamento de Aposentados Maria Luci Lima Santos se reuniram na manhã desta terça, 24, com o diretor-presidente do Sergipeprevidência, José Roberto de Lima. Na pauta: a chamada a diversos professores aposentados para correção de proventos, disponibilização de contracheques e o uso dos recursos do Fundo Previdenciário de Sergipe – FUNPREV.

Diversos professores e professoras que se aposentaram proporcionalmente buscaram o sindicato em dúvida sobre carta recebida pelo Sergipeprevidência relacionada a uma revisão nos proventos.

De acordo com o comunicado os proventos dos educadores e educadores iam ser diminuídos, pois eles estariam recebendo “a mais”. O vice-presidente do SINTESE salientou que essa ação penaliza duplamente o professor e a professora e colocou a necessidade do Sergipeprevidência rever esse procedimento.

“Somos contra essa medida, pois o professor e professora nessa situação está sendo penalizado duplamente. O magistério da rede estadual tanto da ativa quanto aposentado está com o salário desmontado, sem reajuste do piso por quatro anos (2012, 2015, 2016 e 2017), professor até as primeiras letras do Mestrado têm o mesmo vencimento base que um educador com formação em nível médio, como alguém pode estar recebendo ‘a mais’ se o governo não paga o reajuste do piso na carreira. O Estado é quem deve ao professor e não o contrário”, afirma Roberto.

O SINTESE alerta aos professores e professoras que caso a situação não se resolva administrativamente, o sindicato irá convocar quem for prejudicado para impetrar ações judiciais.

Contracheques

Durante as plenárias realizadas nos meses de julho, agosto e setembro com educadoras e educadores aposentados de todo o Sergipe uma das mais constantes reivindicações diz respeito à disponibilização do contracheque.

Atualmente o Sergipeprevidência não envia o contracheque à residência dos educadores devido ao grande custo de envio. O contracheque é disponibilizado via internet ou através dos caixas eletrônicos do Banese.

Mas, as duas situações ainda não contemplam os professores e professoras. No caso da primeira, diversos educadores não têm acesso à internet e, em grande parte por causa da idade, não têm o traquejo com a tecnologia. O segundo caso, diz respeito aos diversos estabelecimentos comerciais que não reconhecem a validade do documento emitido pelos caixas eletrônicos como comprovante de renda.

A sugestão do sindicato é que o educador ou educadora possa, no momento do recadastramento, escolher receber o contracheque em sua residência (ou até na agência bancária em que sua conta está vinculada). Outra sugestão é que o Banese junto ao Sergipeprevidência possam fazer uma campanha de conscientização da validade do comprovante emitido nos caixas eletrônicos.

Uso dos recursos do FUNPREV

O SINTESE solicitou do órgão explicações sobre o uso dos recursos do FUNPREV a partir da afirmação do secretário de Estado da Fazenda, Josué Modesto, na audiência pública sobre de que os recursos já tinham se esgotado.

“A declaração do secretário nos causou extrema preocupação, por isso estamos solicitando do Sergipeprevidência mais explicações sobre o uso dos recursos”, finaliza Roberto.