Imprimir

Professores e professoras de Sergipe na greve geral do dia 05 de dezembro

Escrito por Caroline Santos Ligado . Publicado em Rede Estadual


Na luta contra a reforma da previdência magistério se une aos demais trabalhadores no movimento nacional que acontece na próxima terça

Os professores e professoras da rede estadual e das 74 redes municipais filiadas ao SINTESE (a rede municipal de Aracaju é filiada ao Sindipema) decidiram aderir à greve nacional na próxima terça, dia 05 em assembleia realizada nesta quinta, 30, no Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe. O dia foi escolhido por ser a véspera em que o governo ilegítimo de Michel Temer anunciou que o projeto de lei proposto pelo poder executivo será votado na Câmara dos Deputados.

O projeto prevê mais obstáculos para os trabalhadores (tanto do serviço público, quanto da iniciativa privada) terem direito a aposentaria, em alguns casos (dada a grande rotatividade dos trabalhadores nos empregos e a reforma trabalhista) alguns nunca terão a oportunidade de se aposentar.  

“A Reforma da Previdência irá prejudicar todos e todas. As dificuldades serão tão grandes que boa parte da classe trabalhadora sequer terá a oportunidade de se aposentar. No caso do magistério a reforma acabará com a aposentadoria especial dos professores e professoras. O cenário é muito difícil, mas não vamos ficar desanimados e desesperançosos esse é um momento de luta e de resistência. Vamos a luta com coragem”, declarou a presidenta do SINTESE, Ivonete Cruz.

Em Sergipe, reunião da Frente Brasil Popular (que abrange movimentos sociais, populares e sindical) já iniciou a organização de atos, que a exemplo das duas greves gerais (em abril e em junho) envolvem piquetes nas empresas de ônibus, trancamento de rodovias e fechamento do comércio.

“Terça-feira, no momento que o Congresso corrupto vai estar votando a destruição da Previdência, não haverá transporte público em Sergipe, o comércio vai fechar, assim como estradas e rodovias também serão bloqueadas”, disse o presidente da CUT/SE professor Rubens Marques.

Luta estadual

A luta estadual não ficará de fora das atividades da greve nacional. Além das atividades da madrugada e manhã. A tarde haverá um grande ato em repúdio ao governo Jackson Barreto devido a sua política de massacre aos servidores públicos e ao seu descaso com a Saúde, Educação e Segurança.