Imprimir

SINTESE defende que SEED respeite decisão das escolas e não as transforme em centros experimentais de ensino médio

Escrito por Caroline Santos Ligado . Publicado em Rede Estadual


Reunião com as escolas que apresentaram problemas na implantação do CEEM acontece dia 26 às 9h na SEED

Após o ato em que os estudantes do Colégio Estadual Felisbelo Freire (que estão em greve desde o dia 04) em protesto a transformação da unidade de ensino em centro experimental de ensino médio, o superintendente executivo da Secretaria de Estado da Educação - SEED anunciou que na próxima terça, dia 26, às 9h na sede da secretaria acontece reunião com as escolas que apresentaram problemas na implantação da nova modalidade de ensino.  

O SINTESE denunciou que muitas escolas anunciadas pela SEED que a partir de 2018 funcionariam como centros experimentais de ensino médio apresentaram problemas na implantação.

No Colégio Estadual Walter Franco em Estância a comunidade escolar fez um plebiscito e rejeitou a inclusão da unidade de ensino como Centro Experimental de Ensino Médio em Tempo Integral e a decisão da comunidade está sendo ignorada pela SEED.

No Colégio Felisbelo Freire em Itaporanga, a SEED ignorou a opinião da comunidade escolar de tal forma que os estudantes estão em greve há 18 dias.

Há situações em que a comunidade escolar sequer foi ouvida, como o aconteceu no Colégio Estadual Nelson Resende em Gararu, segundo informações dos professores, a Diretoria Regional de Educação 7 (DRE’7) fez uma ata sem sequer  ouvir o Conselho Escolar, informando a SEED a suposta adesão da unidade de ensino.

No caso do Colégio Estadual Paulo Freire em Aracaju e do Colégio Estadual Manuel Dantas em Cedro de São João o Conselho Escolar deliberou sem ouvir a comunidade escolar. A legislação que regulamenta o funcionamento dos Conselhos Escolares estabelece que a decisão dessas instâncias devem ser precedidas de assembleias escolares com os diversos segmentos (pais, estudantes, professores, funcionários) e no caso da escola da capital isso não aconteceu.

Em Lagarto, no Colégio Estadual Abelardo Romero não existe ata da unidade de ensino demonstrando que houve deliberação do conselho e pior, os conselheiros sequer conhecem a adesão. No Colégio Gonçalo Rollemberg Leite, em Aracaju a informação passada pelos conselheiros é que não há decisão sobre a adesão da escola.

Com tantos problemas o SINTESE acionou o Ministério Público e uma audiência foi marcada para o dia 06 de dezembro e depois remarcada para o final de janeiro.

A orientação do sindicato a todas as escolas que tiveram problemas que enviem representantes e que, no momento da reunião, apresentem relatórios sobre o ocorrido para que sejam entregues a SEED. Com esse cenário o sindicato reafirma necessidade de excluir do edital as escolas que apresentaram problemas na transformação para centros experimentais de ensino médio.

É importante a presença de todos e todas na próxima terça, 26, às 9h na Secretaria de Estado da Educação.