Imprimir

Barre o golpe contra a educação: Diga NÃO à BNCC do Ensino Médio

Escrito por Luana Capistrano Ligado . Publicado em Rede Estadual

Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação cria carta a ser envia ao Ministério da Educação na qual pontua motivos pelo quais professores e professoras são contrários à aprovação da BNCC do Ensino Médio e convoca os trabalhadores e trabalhadoras da educação para luta e mobilização no dia 2 de agosto

dia D BNCCdia D BNCC

Em mais um golpe contra a educação, o Ministério da Educação (MEC), do governo ilegítimo de Michel Temer, anseia aprovar a Base Nacional Comum Curricular do Ensino Médio (BNCC do Ensino Médio). Aprovação BNCC significa o sepultamento do Ensino Médio e da educação pública no Brasil. Diante disso, na próxima quinta-feira, dia 2 de agosto, o SINTESE, seguindo a orientação da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), convoca professores e professoras para moblização e luta contra a BNCC do ensino médio e pela revogação da Lei 13.415.

Por que o dia 2 de agosto é dia de moblização?

Com a enorme resistência e rejeição a BNCC do Ensino Médio, o MEC, em conjunto com o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), tenta empurrar goela abaixo das comunidades escolares a BNCC do Ensino Médio e cavar sua aprovação. Para isso, o MEC criou um evento que intitulou de ‘Dia D’, que acontece na próxima quinta-feira, dia 2 de agosto.

Para fazer frente à tentativa verticalizada e autoritária do MEC de aprovar a qualquer custo o documento da BNCC do Ensino Médio, a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) orienta os seus filiados a promoverem intenso calendário de mobilização e denúncia para discutir as reais consequências das medidas propostas pelo governo golpista.

Além de fomentar a mobilização, a CNTE criou também um modelo de carta, na qual elenca, de maneira pontual e didática, os motivos pelos quais os trabalhadores e trabalhadoras em educação se colocam contra a BNCC do Ensino Médio. A ideia é que o maior número de escolas possíveis, em todo o Brasil, enviem cartas ao Ministério da Educação e ao Conselho Nacional de Educação, com o intuito de fazer pressão pela não aprovação da BNCC do Ensino Médio e pela revogação da Lei 13.415 (que trata da Reforma do Ensino Médio).

“Vamos fazer do dia 2 de agosto um dia de mobilização contra a BNCC do Ensino Médio. A carta feita pela CNTE é apenas um modelo, cada escola tem toda a liberdade e autonomia de cria a sua carta. A ideia da carta elaborada pela CNTE é para facilitar o processo, pois temos pouco tempo e neste momento precisamos unir todas as forças para barrar a aprovação da BNCC do Ensino Médio porque esta medida golpeia de morte o Ensino Médio. O governo antidemocrático e golpista de Michel Temer mais uma vez tenta atacar frontalmente a educação, precisamos estar firmes na luta porque a aprovação da BNCC do Ensino Médio enterra o futuro de milhares de jovens de nosso país. É momento de luta e mobilização”, alerta o vice-presidente do SINTESE, professor Roberto Silva.

VEJA AQUI A CARTA

Dia D LUTA

O tal ‘Dia D’, criado pelo MEC e pelo Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), que acontece na próxima quinta-feira, pretende consultar, em um único dia, mais de 500 mil professores e professoras, em 28 mil escolas de todo o Brasil, sobre o texto da BNCC do Ensino Médio, um documento com mais de 150 páginas, que é desconhecido da ampla maioria.

É importante ressaltar que a “construção” do ‘Dia D’ se deu a toque de caixa e repique de sino, de maneira bem ilegítima como tudo que vem do governo golpista de Michel Temer. A atividade foi convoca pelo MEC e pela Consed na última segunda-feira, dia 23 de julho para ocorrer na semana seguinte, no dia 2 de agosto. Até a última quarta-feira, dia 25 de julho, os formulários da consulta anunciados nos sites do MEC e CONSED, que devem ser lidos e respondidos por professores e professoras de todo o Brasil, ainda não estavam disponíveis para acesso.

Ou seja, o ‘Dia D’do MEC, não passa de uma falácia, de uma fantasia midiática para forjar um falso processo democrático, que tem como objetivo criar um respaldo ilusório para pressionar o Conselho Nacional de Educação a uma decisão favorável em relação à BNCC do Ensino Médio, sem fazer de fato um debate público amplo.

VEJA AQUI POR QUE DIZER NÃO A BNCC DO ENSINO MÉDIO