Imprimir

Riachão do Dantas: magistério não vai se curvar à intimidação

Escrito por Caroline Santos Ligado . Publicado em Redes Municipais


Os professores e professoras de Riachão do Dantas vem a público repudiar texto publicado em redes sociais pela secretária de Controle Interno, Rosane Ribeiro. De forma totalmente destemperada e não condizente com uma gestora pública ela desrespeita os professores e professoras que estão buscando somente o que lhes é de direito. O recebimento dos salários pelo trabalho já realizado.

Hoje, 22 de novembro, os professores que estão em sala de aula (ou seja, aqueles que estão em contato com os filhos e filhas dos trabalhadores e trabalhadoras de Riachão do Dantas) só receberam 70% do salário do mês de outubro.

As faixas utilizadas pelo magistério tinham o intuito de sensibilizar a gestão a resolver o problema, pois o SINTESE tem buscado várias vezes o diálogo com a administração municipal. Inclusive no sentido de saber o que foi feito com os recursos que entraram na Educação, pois dados informados pela prefeitura ao Tribunal de Contas mostram que o recebido pelo município daria conta de pagar os salários de todos os professores e professoras dentro do mês.

Ao retirar as faixas, alegando a “poluição visual” só deixa claro como a atual administração não está preocupada com o sofrimento dos professores, professoras e de suas famílias, pois receber os salários parcelados desorganiza a vida de qualquer pessoa. Isso sem contar com o impacto negativo no comércio local.

Além de 30% do salário do mês de outubro, a administração de Riachão do Dantas deve aos professores metade do salário de dezembro, 1/6 de férias. Vale lembrar que a administração de um município é impessoal. A prefeitura de Riachão do Dantas deve ao magistério e precisar pagar a dívida.

Ao contrário do que disse a secretária, que não conhece a realidade do município, pois atuava em Lagarto (onde também levou o atraso de salário, fatiamento e negação de direitos), os professores e professoras têm denunciado constantemente a falta de estrutura das escolas.

“Como ela não é daqui desconhece que os professores e professoras fizeram várias manifestações denunciado a situação das escolas e também da alimentação escolar é só olhar os perfis nas redes sociais que inúmeras fotos, em diferentes gestões, serão encontradas. Eu mesma fui várias vezes ao Ministério Público denunciar os problemas da escola do povoado Limoeiro”, conta a professora Adriana Soares.  

Os professores e professoras de Riachão do Dantas continuarão na luta pelos seus direitos.

“A prefeita não aceita a verdade e quer denigrir a imagem do SINTESE dizendo através de sua secretária Rosane que esta entidade nunca foi à luta e fechava os olhos para os desmandos das outras administrações. Quem não reajustou o piso salarial negociado com a categoria, atrasa salários dos professores dos professores e persegue os professores cortando ponto é a prefeita Gerana Costa. Em resumo sente com a categoria e resolva todos os problemas que SINTESE não terá motivo para ir às ruas”, disse a professora Tina Alves.