Imprimir

Após 43 dias em greve, professores e professoras de Canindé de São Francisco retornam às salas de aula

Escrito por Luana Capistrano Ligado . Publicado em Redes Municipais

Professoras e professores em uma dos dias de ocupação da Secretaria Municipal de FinançasProfessoras e professores em uma dos dias de ocupação da Secretaria Municipal de Finanças

Os professores e professoras da rede municipal de Canindé de São Francisco retomam suas atividades depois de 43 dias em greve. Após decisão judicial, professores e professoras voltaram às salas de aula nesta quinta-feira, 25. Mas o fim da grave não significa o retrocesso da luta.

Com a força do movimento paredista, professores e professoras conseguiram assegurar a antecipação do salário do mês de janeiro, que será depositado na conta dos professores nesta sexta-feira, 26.

A antecipação salarial se deu por meio de acordo firmado em audiência ocorrida Tribunal de Contas do Estado de Sergipe (TCE/SE), na última segunda-feira, 22, na qual a gestão municipal de Canindé se comprometeu com os representantes do magistério a assegurar o pagamento integral do salário de janeiro, ainda dentro do mês.

Os demais servidores da educação (vigilantes, executores de serviços básicos, assistentes administrativos, etc) receberão os seus salários até o dia 02 de fevereiro.

Com relação ao salário de dezembro, em assembleia ocorrida na quarta-feira, 24, professores e professoras aprovaram a proposta apresentada pela prefeitura de Canindé durante a audiência no TCE. A prefeitura propôs dividir o pagamento do salário de dezembro em seis vezes, sendo que a primeira parcela será paga no mês de fevereiro e a última no mês de julho. As parcelas serão pagas sempre no dia 10 de cada mês

“Somos contra o parcelamento de salários, no entanto diante da conjuntura aceitamos a proposta colocada pela prefeitura. É importante destacar que a categoria aprovou o parcelamento do salário de dezembro com as seguintes ressalvas: que a prefeitura se esforce para reduzir o número de parcelas, e que ocorra nos próximos dias uma audiência para tratar do pagamento do terço ferial e do reajuste do piso salarial de 2018. Diante disso, a categoria continuará vigilante e mobilizada”, colocou José Dias, professor da rede municipal de Canindé e membro da comissão sindical de negociação do SINTESE.

Os professores e professoras de Canindé de São Francisco retornam às salas de aula nesta quinta-feira, 25, para finalizar o ano letivo de 2017, assumindo seu compromisso com a educação dos filhos e filhas dos trabalhadores de Canindé, que durante os 43 dias de greve foram solidários e permaneceram ao lado dos professores e professoras.

“Retornamos as nossas salas de aula nesta quinta-feira para que possamos concluir o nosso ano letivo de 2017, mas certos de que fizemos o bom combate. Nesses 43 dias de luta nos fortalecemos muito mais para continuar trilhando a nossa trajetória, a trajetória da classe trabalhadora. Somos gratos a todos da sociedade canindeense que nos apoiaram nessa luta que travamos nos últimos 43 dias, em particular aos nossos estudantes e seus pais. O nosso muito obrigado a todos”, agradece o representante do SINTESE em Canindé, professor José Dias.