Professores de Estância em greve por tempo indeterminado

Escrito por Caroline Santos Ligado . Publicado em Redes Municipais

Cansados de esperar a abertura de negociação por parte do prefeito Ivan Leite e tTriste retrato da Escola Dr antonio manuel carvalho,em Estância: clique e veja mais fotosambém por melhorias na Educação do município, os professores de Estância estão em greve por tempo indeterminado. A decisão foi tomada em assembleia realizada no último dia 16.

Os professores percorreram escolas da sede e dos povoados comunicando aos alunos e pais os motivos para a interrupção total das atividades.  “Infelizmente a política adotada pela atual administração não visa a valorização do educador”, disse a coordenadora da sub-sede Sul do SINTESE, Ivonia Ferreira.

Desde que Ivan Leite assumiu a prefeitura de Estância os professores têm acumulado enormes prejuízos. Os salários foram cortados. O argumento da administração era redução dos gastos, mas o secretariado e o prefeito deixaram intactos seus vencimentos. A regência de classe foi extinta, o que acarretou uma redução drástica nos salários. O percentual da Gratificação por Titulação foi reduzido e depois disso nunca mais foi pago. Os percentuais da progressão horizontal foram reduzidos, desconsiderando a formação acadêmica dos professores.

Além deste ataque devastador aos salários, muitas escolas estão em estado deplorável, provocando inclusive a indignação dos pais que foram ao Ministério Público pedir providências. A merenda escolar é insuficiente e as crianças em muitas escolas comem sentadas no chão. Em algumas linhas os ônibus escolares, mais se parecem com latas de sardinhas, por conta da superlotação.

Nada disso se justifica, uma vez que a Prefeitura de Estância está entre os três municípios com maior receita (incluindo Aracaju), mas, no entanto paga um dos piores salários de Sergipe, perdendo, por exemplo, para Santa Luzia, Indiaroba, Umbaúba, Arauá, Cristinápolis, Itabaianinha e Tomar do Geru (professor nível superior 200 horas).