‘Mulheres em luta e resistência: contra a violência, por direitos e democracia’ é tema do protesto de 8 de março

Escrito por Iracema Corso - CUT/SE Ligado . Publicado em Sociedade

Oito de março não, o mês inteiro de luta e o ano inteiro de ações continuadas de esclarecimento, diálogo e combate ao machismo. Neste ano, lideranças sindicais do estado de Sergipe expandiram a programação do Dia Internacional da Mulher até chegar a um vasto calendário com atividades de luta do litoral ao sertão.

A secretária da Mulher da Central Única dos Trabalhadores (CUT/SE), Ana Luzia, explicou bem porque o tema do protesto unificado do dia internacional da mulher será ‘Mulheres em luta e resistência: Contra a violência, por direitos e democracia’. “Foi um golpe machista que derrubou a presidenta Dilma, este fato não pode ser esquecido no dia 8 de março, dia internacional da mulher. Os golpistas e seus aliados, preocupados com ano eleitoral, 2018, querem esconder a palavra golpe a todo custo. Mas nós do movimento sindical e social não vamos deixar ninguém esquecer que a primeira presidenta do Brasil, eleita democraticamente, foi retirada da Presidência de forma vil com o aval e o apoio da cultura machista consolidada no nosso País: nos lares, nos ambientes de trabalho, de lazer e principalmente na política, que é espaço de poder e de tomada de decisão”.


NO VIADUTO DO DIA - No dia 8 de março, quinta-feira, a Concentração está marcada para as 7h da manhã no Viaduto do Terminal DIA, em Aracaju. De lá, as manifestantes seguirão para o Palácio dos Despachos, onde será entregue uma carta denunciando o aumento da violência, o alarmante número de Feminicídio e cobrando providências do Governo do Estado.

O dia de luta está sendo construído em Sergipe pela CUT/SE, o Motu (Movimento dos Trabalhadores Urbanos por Moradia), Sindoméstico, a Fetase (trabalhadores rurais), a UBM (União Brasileira de Mulheres), o Sintese (Sindicato dos Professores- Sergipe), o MST (Movimento Sem Terra), Sindipema (Sindicato dos Professores – Aracaju), Amorsetrans, Casaamor, Coletivo Feminista Classista Ana Montenegro, Consulta Popular, CONTAG, CTB, Levante Popular da Juventude, Diretoria de Mulheres - Psol, MMM (Marcha Mundial das Mulheres), MCP, MMC, MMS, MPA, MPS, MTST, Mulheres Quilombolas, RUA,  Adufs (docentes da UFS), Sindipetro (petroleiros), Sinasefe (servidores federais), Sintufs (trabalhadores da UFS), UJS (União da Juventude Socialista) e o Coletivo de Mulheres de Aracaju.

Para além do dia 8 de março, o coletivo de mulheres avaliou que a luta contra a violência, por direitos e democracia deve continuar ao longo do ano inteiro, pois o índice de assassinatos, estupros, assédios, espancamentos, agressões verbais, tortura psicológica e disparidade de salários só crescem a cada dia. “Será um ato pra dialogar com a população e denunciar a violência, exigir do governo estadual providências para combater a violência contra a mulher. Esse coletivo resolveu se manter unido e dar continuidade às atividades, precisamos ir para os municípios, para a periferia, refletir junto às mulheres sobre as causas da violência, sobre a condição de subalternidade da mulher na sociedade e sobre o machismo”, registrou Ana Luzia.

NA ALESE - O mandato da deputada Ana Lúcia (PT) propôs e a Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de Sergipe vai realizar no próximo dia 07 de março, quarta-feira, a partir das 14h30, a Audiência Pública “O papel da mulher na luta pela democracia no Brasil e na América Latina”, tendo como palestrante Claudia Giannotti, jornalista, historiadora e coordenadora do Núcleo Piratininga de Comunicação (NPC). A militante e pesquisadora sobre a memória da história de luta das mulheres desenvolveu trabalhos na formação e organização das mulheres que atuam em diferentes movimentos. Na ocasião será lançado o livro "Mulheres Capelenses em Destaque" da professora e historiadora Denilsa de Oliveira Santos.

Na quinta-feira, 08, Dia Internacional da Mulher, Cláudia Giannotti irá proferir nova palestra, desta vez no grande expediente da Assembleia Legislativa de Sergipe, durante a sessão plenária. A palestra, que acontece a partir das 9h30, no plenário da ALESE, contará com o tema “Retrospectiva histórica do avanço dos direitos da mulher”.

NA ESCOLA - No dia 09/03 - O Fórum Sergipano Popular de Educação convida para a pré-conferência da Educação Popular, no Sindicato dos Bancários. Nos dias 23 e 24/03, nos dias acontecerá a Conferência Estadual da Educação Popular. “As duas atividades são importantes, pois o machismo está na nossa formação, portanto a formulação de uma Educação Popular necessita de um olhar crítico sobre a cultura machista que tem tanta força no Brasil”, explicou a professora Ana Luzia.

NO SERTÃO - Com programação consolidada a cada ano, o Fórum de Mulheres Glorienses iniciará às 9h da manhã as atividades da IX Jornada de Luta com a Tenda Cultural Mulheres na Luta por Democracia, na Praça dos Quiosques no município de Nossa Senhora da Glória, capital do Sertão sergipano. Confira a programação completa organizada pelo Fórum de Mulheres Glorienses de 8 a 21 de março:

9:00 horas : Abertura das atividades com a apresentação da Banda Afro Creas.

10:00 Apresentação do grupo de dança da Escola Municipal da COHAB.

14:00h: Oficina de Dança

15:00h: Apresentação da Banda Tambores do Sertão

Obs.:  serão ofertados serviços de saúde e da Assistência Social durante todo o dia na Tenda.

Dia: 13/03 - Palestra Mulher, Democracia e Trabalho

Local: Povoado Fortaleza (Escola Municipal)

Horário: 8:00h

Dia: 15/03 - Palestra Mulher, Democracia e Trabalho

Local: CAPS LUZ DO SOL

Horário: 9:00h

Dia: 21/03 - Palestra Mulher, Democracia e Trabalho

Local: Sindicato dos trabalhadores rurais

Horário: 14:00h