Imprimir

Sindicatos definem ações para combater atrocidades do Governo Jackson que empobrecem servidores

Escrito por CUT Sergipe Ligado . Publicado em Sociedade

Sindicatos do Serviço Público Estadual filiados à Central Única dos Trabalhadores (CUT) se reuniram na última sexta (28), na sede da central sindical. Juntos, tomaram algumas decisões contra os atos ilegais e perversos que têm sido praticados pelo governador do Estado, Jackson Barreto (PMDB), que tem empobrecido, cada vez mais, os servidores estaduais.

Os sindicatos CUTistas estão insatisfeitos com a política de valorização do Governo do Estado. Algumas categorias já chegam a cinco anos sem reajuste salarial. É unanimidade entre as entidades sindicais a disposição para cobrar uma negociação séria ou enfrentar o Governo Estadual em todas as instâncias – políticas e jurídicas – para defender os interesses dos servidores representados.

Participaram da reunião 10 dos 15 sindicatos estaduais filiados à CUT. Entre eles: Sintese (professores), Sindtic (processamento de dados), Sindijor (jornalistas), Sinpose (peritos), Sindijus (judiciário), Sindinutrise (nutricionistas), Sinpsi (psicólogos), Sindasse (assistentes sociais), Stase (técnicos de enfermagem) e Movimento Atitude (oposição Saúde).

Foi consensuada a realização de uma Campanha Unificada, organizada pelos sindicatos estaduais CUTistas, unificados pela seguinte pauta que ainda poderá ser ampliada nas próximas discussões:

1) Contra atrasos salariais.

2) Reajuste salarial de 2017 e revisão das perdas inflacionárias.

3) Transparência.

4) Concursos públicos.

5) Combate ao desmonte da Previdência Pública Estadual.

6) Combate às mamatas: cargos em comissão e funções de confiança, nepotismo e jetons.

“Recursos têm. A previsão de receita para o ano que vem é de quase 9 bilhões. Computando os últimos quatro anos representa um crescimento na arrecadação de 1,7 bilhão, correspondente a 23%. O Governo do Estado precisa dizer onde foram gastos esses recursos. Porque, até agora, têm se limitado à opção cômoda de apenas sacrificar os servidores. Como as tentativas isoladas de dialogo já têm se mostrado infrutíferas, os sindicatos e a CUT vão para as ruas exigir que o Governo cumpra a lei. E que o Ministério Público e o Judiciário não fiquem como cumplices dessas infrações,” aponta o servidor estadual e vice-presidente da CUT/SE, Plínio Pugliesi.

Em conjunto com a central, os sindicatos também definiram um calendário com as primeiras atividades unificadas. No próximo dia 03/08 (quinta-feira), às 14h30min, na CUT, os sindicatos estaduais irão realizar um Seminário com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio Econômicos (Dieese) para analisar as finanças públicas do Estado de Sergipe.

Para o dia 16 de agosto, a tarde, está sendo programado um grande Ato Público dos sindicatos do Serviço Público Estadual. Algumas categorias, a exemplo da Educação e setores da Saúde, também manifestaram intenção de paralisar as atividades nesse dia.

Outras ações também foram combinadas entre os sindicatos, que envolvem panfletagens, tentativas de reuniões com a Administração Pública estadual e diálogos com outras entidades sindicais não filiadas à central. Estas movimentações serão operacionalizadas pela direção da CUT. Os sindicatos estaduais voltam a se reunir na CUT, na tarde da próxima quinta-feira, no Seminário do Dieese.