Imprimir

Professores de Carira entram em greve por tempo indeterminado

Escrito por Luana Capistrano Ligado . Publicado em Uncategorised

Desde segunda-feira, dia 26, professores da rede estadual de Carira paralisaram suas atividades por tempo indeterminado. Os professores estão há quatro anos sem receber reajuste do piso.

A pior remuneração do estado. Esta é a dura realidade dos professores da rede municipal de Carira, que desde 2010 estão com o piso salarial congelado em R$1.024,67. A esperança da mudança veio no dia 12 de maio de 2014, quando o prefeito, Diogo Menezes Machado, se comprometeu, após audiência com o SINTESE, em reajustar o piso salarial e restabelecer a carreira do magistério de Carira.

 Na audiência do dia 12, o SINTESE apresentou ao prefeito e a seus assessores um estudo de viabilidade financeira para a efetivação do reajuste do piso. O estudo elaborado pelo SINTESE apontava que o município de Carira, a partir do comprometimento dos recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), conseguiria atingir o valor atual do piso salarial do magistério, de forma parcelada, em novembro de 2014.

Para alcançar o valor do piso salarial de 2014 (R$1.697,34), ao longo dos próximos sete meses, a prefeitura teria que pagar mensalmente percentuais variáveis em cima do vencimento dos professores, seguindo os valores de sete tabelas apresentadas pelo SINTESE.

Após a exposição do estudo, o prefeito Diogo Menezes Machado, acordou em implementar a proposta apresentada pelo SINTESE. Ficou acertado entre as partes que a gestão municipal de Carira começaria a efetivar o pagamento do reajuste do piso no mês de maio e seguiria pagando até novembro.  Ao fim da audiência, o prefeito garantiu que, no dia 20 de maio, encaminharia as tabelas e Projeto de Lei do reajuste do piso salarial dos professores para aprovação da câmara de vereadores de Carira.

Eis que o tão esperado dia 20 de maio chega. Professores lotam as galerias da câmara de vereadores. Dali a poucos instantes o tormento que durou quatros anos chegaria ao fim e a carreira do magistério de Carira começaria a ser reerguida. Mas a alegria e esperança que tomavam conta do local, rapidamente foram substituídas por tristeza e decepção. O prefeito descumpriu o que havia prometido e não enviou a câmara de vereadores o projeto de lei para reajustar o piso salarial dos professores da rede municipal.

Indignados e mais uma vez humilhados, os professores saíram da câmara de vereadores e reunidos em assembleia, na Praça Olímpio Rabelo, decidiram por unanimidade entrar em greve por tempo indeterminando a partir de segunda-feira dia 26/05. 

No dia 21 de maio o SINTESE conseguiu nova audiência com o prefeito, Diogo Menezes Machado. O prefeito disse que não encaminhou as tabelas e o projeto de lei para reajustar o piso dos professores à câmara de vereadores porque após estudos feitos pela sua assessoria jurídica, financeira, contábil e educacional, eles constataram inviabilidade da proposta apresentada no dia 12 de maio pelo SINTESE. O prefeito e seus assessores aproveitaram o momento para apresentar a seguinte proposta:

1 – pagamento de imediato de 8,32% em maio de 2014;

2 – pagamento da revisão salarial em junho de 2014 no percentual de 7,97%, e um aumento de 6,28% a partir de julho para as demais profissionais da educação lotados na rede municipal de ensino e finalmente uma nova rodada de negociação em setembro para discutir as revisões salariais dos anos de 2011 e 2012.

Na quinta-feira, dia 22, os professores novamente se reunirão em assembleia. Os representantes do SINTESE na região apresentaram a vergonhosa propostas para o reajuste do piso salarial feita pelo prefeito ao Sindicato no dia anterior. Os professores por unanimidade recusaram a proposta do prefeito Diogo Menezes Machado e novamente legitimaram a proposta apresentada pelo SINTESE ao prefeito no dia 12 de maio como a melhor opção para a restruturação da carreira. Os professores também reafirmaram a necessidade da greve por tempo indeterminado, com início nesta segunda-feira, dia 26.

O magistério de Carira espera contar com o apoio e a compreensão de toda a população, principalmente dos pais e alunos da rede municipal. A luta dos professores é por justiça, por respeito aos seus diretos. Os professores não estão pedindo um favor ao prefeito Diogo Menezes Machado, estão exigindo que a administração municipal de Carira saia da ilegalidade e cumpra a Lei Federal11.738/2008, lei que assegura o piso salarial do magistério e garante que reajuste do piso deve ser concedido aos professores anualmente sempre no mês de janeiro.

Veja abaixo a proposta apresentada pelo SINTESE ao prefeito de Carira no dia 12 de maio e legitimada pelos professores do município para implementação do reajuste do piso referente aos anos de 2011, 2012, 2013 e 2014

As tabelas de vencimento para o nível médio, na modalidade normal, impactam automaticamente em todos os níveis de carreira com os seguintes percentuais:

Tabelas

Mês

Vencimento

Percentual

1

Maio

R$ 1.109,24

8,32%

2

Junho

R$1.194,28

7,60%

3

Julho

R$ 1.283,85

7,50%

4

Agosto

R$ 1.378,85

7,40%

5

Setembro

R$ 1.479,51

7,30%

6

Outubro

R$ 1.586,03

7,20%

7

Novembro

R$ 1.697,34

7,00%