SINTESE espera que propostas da Conferência Estadual de Educação possam contribuir para educação emancipatória

Escrito por sintese Ligado . Publicado em Nacional

Começou na noite de segunda-feira, 30, e segue até o dia 2 de outubro, na cidade de Aracaju, a Conferência Estadual de Educação. Nesta etapa serão debatidas e aprovadas as propostas elaboradas nas Conferências Intermunicipais de Educação, pelos participantes e pelos 450 delegados e delegadas eleitos também nas etapas intermunicipais. As propostas aprovadas irão compor o documento que Sergipe levará para a Conferência Nacional de Educação (CONAE), que acontece em Brasília, entre os dias 17 e 21 fevereiro de 2014. As propostas elaboradas pelos sergipanos se juntarão a propostas de todo o país.

A abertura da Conferência Estadual de Educação aconteceu no Hotel Mercure. A palestra do primeiro dia de evento trouxe o tema ‘O Plano Nacional de Educação na articulação do Sistema Nacional de Educação’, e foi proferida pelo representante do Ministério da Educação (MEC), Geraldo Grossi Júnior. O representante do MEC defendeu a integração das políticas nacionais de educação nas esferas municipais, estaduais e federais como um modo de fortalecer o Sistema Nacional de Educação 

Educação democrática e popular

Na mesa de abertura a presidente do SINTESE, Ângela Maria de Melo, fez questão de destacar a importância da Conferência e demarcar a postura do sindicato neste espaço. “A conferência é um espaço para a construção coletiva de um plano de educação popular que contemple as particularidades e diversidades de cada ponto do país. Defendemos aqui o financiamento público para a escola pública, que preze pela qualidade social. É fundamental neste processo o envolvimento de todos os atores que compõem a educação: professores, estudantes, pais e funcionários de escolas, que sentirão o reflexo direto das propostas que serão aprovadas na CONAE”, aponta Ângela. 

A presidente destacou ainda que a luta em espaços institucionais é importante, mas que a rua é o grande espaço de reivindicação da sociedade. “O espaço da Conferência é muito importante, mas o SINTESE nunca deixou de ir para a rua lutar não só por uma educação de qualidade, mas pelas crianças do semáforo, pelas prostitutas das esquinas, pelos homossexuais, pela população oprimida, que devem enxergar na escola pública um espaço para mudança não só de sua condição de oprimido, mas também de mudança social. Lutamos diariamente por uma educação pública, democrática, popular e de qualidade para todos independente de sua cor, religião ou orientação sexual”, enfatiza a professora Ângela.

Colóquios 

Na manhã desta terça-feira, 1, aconteceram, no Teatro Atheneu, os colóquios que abordaram, de forma mais ampla, as temáticas que norteiam os eixos da CONAE. A primeira sessão de colóquios abordou os temas ‘Escola e diversidade’, debatido pela professora baiana, Olívia Santana, e ‘Financiamento da Educação’, debatido pelo técnico do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe, José Edilson Ferreira de Barros. A segunda seção trouxe a temática ‘Educação, Trabalho, Cultura, Tecnologia e Desenvolvimento Sustentável', facilitado pela professora Rita de Cássia Amorim Barroso e pelo professor Ademário Alves.

A partir das 14h acontecem as plenárias de eixos, que serão realizadas no Centro de Educação Profissional José Figueiredo Barreto.

O SINTESE espera que as propostas tiradas nas etapas intermunicipais e aprovadas na etapa estadual da Conferência de Educação possam contribuir para a construção de um projeto educacional emancipador. “Iremos participar e contribuir com todos os eixos por compreendermos a importância de cada um para a construção de um projeto educacional democrático e de qualidade. Defenderemos uma educação pública emancipatória que supere os aspectos autoritários e conservadores presentes na atual cultura escolar”, coloca a vice-presidente do SINTESE, Ivonete Cruz. 

Programação do dia 02/10/13 

Centro de Educação Profissional José Figueiredo Barreto
8h - Plenárias de Eixos 
12h – Almoço
Teatro Atheneu 
14h - Plenária Final 
17h - Encerramento da Conferência

Foto: SINTESE espera que propostas da Conferência Estadual de Educação possam contribuir para educação emancipatória
Começou na noite de segunda-feira, 30, e segue até o dia 2 de outubro, na cidade de Aracaju, a Conferência Estadual de Educação. Nesta etapa serão debatidas e aprovadas as propostas elaboradas nas Conferências Intermunicipais de Educação, pelos participantes e pelos 450 delegados e delegadas eleitos também nas etapas intermunicipais. As propostas aprovadas irão compor o documento que Sergipe levará para a Conferência Nacional de Educação (CONAE), que acontece em Brasília, entre os dias 17 e 21 fevereiro de 2014. As propostas elaboradas pelos sergipanos se juntarão a propostas de todo o país.
A abertura da Conferência Estadual de Educação aconteceu no Hotel Mercure. A palestra do primeiro dia de evento trouxe o tema ‘O Plano Nacional de Educação na articulação do Sistema Nacional de Educação’, e foi proferida pelo representante do Ministério da Educação (MEC), Geraldo Grossi Júnior. O representante do MEC defendeu a integração das políticas nacionais de educação nas esferas municipais, estaduais e federais como um modo de fortalecer o Sistema Nacional de Educação 
Educação democrática e popular
Na mesa de abertura a presidente do SINTESE, Ângela Maria de Melo, fez questão de destacar a importância da Conferência e demarcar a postura do sindicato neste espaço. “A conferência é um espaço para a construção coletiva de um plano de educação popular que contemple as particularidades e diversidades de cada ponto do país. Defendemos aqui o financiamento público para a escola pública, que preze pela qualidade social. É fundamental neste processo o envolvimento de todos os atores que compõem a educação: professores, estudantes, pais e funcionários de escolas, que sentirão o reflexo direto das propostas que serão aprovadas na CONAE”, aponta Ângela. 
A presidente destacou ainda que a luta em espaços institucionais é importante, mas que a rua é o grande espaço de reivindicação da sociedade. “O espaço da Conferência é muito importante, mas o SINTESE nunca deixou de ir para a rua lutar não só por uma educação de qualidade, mas pelas crianças do semáforo, pelas prostitutas das esquinas, pelos homossexuais, pela população oprimida, que devem enxergar na escola pública um espaço para mudança não só de sua condição de oprimido, mas também de mudança social. Lutamos diariamente por uma educação pública, democrática, popular e de qualidade para todos independente de sua cor, religião ou orientação sexual”, enfatiza a professora Ângela.
Colóquios 
Na manhã desta terça-feira, 1, aconteceram, no Teatro Atheneu, os colóquios que abordaram, de forma mais ampla, as temáticas que norteiam os eixos da CONAE. A primeira sessão de colóquios abordou os temas ‘Escola e diversidade’, debatido pela professora baiana, Olívia Santana, e ‘Financiamento da Educação’, debatido pelo técnico do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe, José Edilson Ferreira de Barros. A segunda seção trouxe a temática ‘Educação, Trabalho, Cultura, Tecnologia e Desenvolvimento Sustentável', facilitado pela professora Rita de Cássia Amorim Barroso e pelo professor Ademário Alves.
A partir das 14h acontecem as plenárias de eixos, que serão realizadas no Centro de Educação Profissional José Figueiredo Barreto.
O SINTESE espera que as propostas tiradas nas etapas intermunicipais e aprovadas na etapa estadual da Conferência de Educação possam contribuir para a construção de um projeto educacional emancipador. “Iremos participar e contribuir com todos os eixos por compreendermos a importância de cada um para a construção de um projeto educacional democrático e de qualidade. Defenderemos uma educação pública emancipatória que supere os aspectos autoritários e conservadores presentes na atual cultura escolar”, coloca a vice-presidente do SINTESE, Ivonete Cruz. 
Programação do dia 02/10/13 
Centro de Educação Profissional José Figueiredo Barreto
8h - Plenárias de Eixos 
12h – Almoço
Teatro Atheneu 
14h - Plenária Final 
17h - Encerramento da Conferência