A luta fez a Lei: professores e professoras de Neópolis garantem atualização do piso e recomposição da carreira

314

Finalmente a tão esperada vitória chegou: após muita luta, professores e professoras de Neópolis terão o piso salarial atualizado, nos patamares de 2022.

Até então, os professores e professoras de Neópolis amargavam o cruel título de pior salário do magistério no estado de Sergipe, uma vez que desde 2015 o piso salarial não era atualizado.

De acordo com o Projeto de Lei, aprovado pela Câmara de Vereadores, a recomposição da carreira, a partir da atualização do piso, será feita em seis meses, começando agora em outubro até março de 2023. O Projeto de Lei foi aprovado na casa legislativa municipal no último dia 11.

A coordenadora do SINTESE, na região do Baixo São Francisco II, professora Jociene Silva, relembra como a luta foi árdua, mas a crença dos professores de que a luta faz a Lei os levou a vitória.

“Ao longo destes anos travamos muitas lutas na rua e na justiça. A nossa ação chegou até o STF que mais uma vez reafirmou que o piso salarial do magistério é Lei e deve ser cumprido. E seguiremos lutando porque a Lei nos garante que a atualização deve ser feita anualmente e esperamos que a gestão municipal cumpra o que determina a Lei. Os professores e professoras de Neópolis não mereciam seguir carregando o triste título de pior salário do Estado. Merecemos respeito: a nós e a nossos direitos. Parabéns a todos e todas que acreditaram que a luta faz a Lei, por isso chegamos até aqui, por isso chegamos à vitória”, congratula a dirigente do SINTESE.

Vale colocar que cumprimento da lei do piso com a sua atualização vai ter um impacto extremamente positivo não só na vida dos professores e professoras e suas respectivas famílias, mas em toda a economia do município de Neópolis

É também sempre importante lembrar que o piso salarial é garantido a professores e professoras, da rede pública de todo Brasil, desde 2008, pela Lei Nacional 11.738. A Lei diz que o piso deve ser atualizado anualmente, sempre em janeiro. A atualização deve ser feita de forma automática e assegurando os direitos da carreira, cumprindo decisões do STF e STJ.