Aposentadas e aposentados se reúnem para planejar a luta de 2024

160

Nos dias 7 e 8 de fevereiro, professoras e professores aposentados da rede estadual de ensino e filiados ao SINTESE estiveram reunidos, em Aracaju, para a o encontro de planejamento de luta para 2024.

“Este momento é para começar mais um ano com muita mobilização, ação e planejamento. Para dar sustentação a nossas lutas do dia a dia, e as companheiras aposentadas tem papel fundamental em toda construção de luta do nosso SINTESE”, enfatizou a vice-presidenta do SINTESE, Ivônia Ferreira.

No final do ano de 2023, as sete subsedes regionais do SINTESE e a região metropolitana fizeram o levantamento de demandas da categoria. No encontro dos últimos dias, elas foram compartilhadas e discutidas para montar um plano único de luta. Dentre os pontos de reivindicação estão: paridade com ativos, melhorias no atendimento do Ipesaúde, a devolução dos 14% – descontados sem justificativa plausível durante 27 meses pelo Governo do Estado -, entre outros.

“Estamos com representações de todos os municípios de Sergipe. Foram dois dias de discussões, debates, troca e encontros, e sem dúvida, de fortalecimento para enfrentarmos as lutas e desafios que nos esperam em 2024. Sabemos que não será fácil, mas juntas, somadas ao nosso sindicato, somos mais fortes. Vamos à luta e vamos à vitória”, convoca a diretora do Departamento de Aposentadas e Aposentados do SINTESE, Ana Geni de Andrade.

As participantes foram divididas em cinco grupos para o desenvolvimento das atividades. Elas criaram painéis para retratar a luta da categoria e escreveram cartas com reivindicações que serão enviadas ao governador do Estado, Fábio Mitidieri; à presidente do Tribunal de Constas do Estado de Sergipe (TCE-SE), Susana Azevedo; aos deputados e deputadas estaduais e aos presidentes do Ipesaúde e Sergipeprevidência.

“A sociedade não tem que olhar para o aposentado como um coitado, mas como um cidadão que já trabalhou, já deu sua contribuição e agora precisa do direito de viver a vida com qualidade, com acesso a saúde, tratamentos, lazer, entre outros itens que garantem qualidade de vida”, disse Maria Luci Lima, diretora do Departamento de Aposentadas e Aposentados do SINTESE.

“Esse encontro visa traçar caminhos de luta di

ante das tentativas, de governo após governo, de dificultar as negociações com a categoria. Nós devemos cobrar o Governo de Estado para que haja garantias dos direitos conquistados historicamente, para que haja valorização efetiva, com revisões salariais anuais, para garantir condição mínima de sobrevivência. E esta é uma luta de quem está na ativa, que logo, logo estará se aposentado”, observou Roberto Silva, presidente do SINTESE.

Por Luana Capistrano e Elisângela Valença