Ato em defesa da democracia ocupou as ruas do Centro de Aracaju

154

Centrais de trabalhadores, entidades sindicais e movimentos sociais participaram, na manhã de hoje, dia 8 de janeiro, do ato em defesa da democracia, no Centro de Aracaju. Em 2023, nesta mesma data, a extrema direita tentou um golpe contra a democracia, invadindo a sede dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, em Brasília.

“Este é um fato que jamais poderá ser esquecido para que nunca mais volte a acontecer. A luta em defesa da democracia e da cidadania deve ser firme e constante, porque os ataques não são apenas com ações como esta”, disse Roberto Silva, presidente do SINTESE.

“Temos que seguir atentos às movimentações no judiciário, no Congresso Nacional, nas Assembleias Legislativas, nas Câmaras de Vereadores, nas gestões municipais, na internet. A extrema direita se movimenta nas mais diversas frentes na tentativa de minar a democracia e a nossa liberdade de todas as formas possíveis”, comentou.

A luta em defesa da democracia deve permanecer firme. “Temos que seguir na resistência. Defender a democracia brasileira é defender o povo brasileiro, é defender justiça, é defender igualdade”, lembrou Ivonete Cruz, diretora de Bases Estaduais do SINTESE.

Participantes se concentraram no Calçadão da João Pessoa, em frente ao Palácio Museu Olímpio Campos. Depois seguiram em caminhada pelas ruas do Centro de Aracaju até chegar à agência da Caixa Econômica, no início do Calçadão da João Pessoa.

Lá, representantes de entidades e movimentos lembraram a importância de defender a democracia para garantir a liberdade. “A democracia é a base legal do estado democrático de direito, fundamental para o avanço das políticas públicas, da educação, da saúde pública, o desenvolvimento igualitário do nosso país e a consolidação de todos os direitos que a classe trabalhadora do Brasil conquistou ao longo da nossa história e não podemos abrir mão disso”, reforçou Roberto.