Canhoba: Professores e professoras cobram audiência com prefeito

140

Desde o ano passados professores e professoras esperam que o prefeito, Chrystophe Divino, receba o SINTESE em audiência. Por isso, na quarta-feira (01), logo após a primeira assembleia da categoria, em 2023, que aconteceu na Câmara de Vereadores, professores e professoras junto a dirigentes do SINTESE, foram até a prefeitura cobrar que a audiência seja marcada.

A audiência é tão esperada pelo magistério canhobense porque em 2022, o prefeito Chrystophe, pagou parte do percentual de atualização do piso salarial aos professores e professoras, 13% e se comprometeu a integralizar o percentual (pagar todo o restante), no segundo semestre daquele ano. Em 2022 a percentual de atualização do piso foi de 33,24%.

Mesmo o SINTESE tendo enviado vários ofícios ao prefeito, o segundo semestre do ano de 2022 passou, o ano acabou, 2023 começou e nenhuma audiência foi feita, nem o percentual do piso de 2022 foi integralizado.

Assim que a assembleia da categoria terminou, professores e professoras caminharam até a prefeitura e lá foram recebidos pela procuradora do município. Ela se comprometeu em encaminhar ofício ao SINTESE com a data da audiência, entre a gestão municipal e representantes do Sindicato, até esta sexta-feira, dia 3.

“Foi com muita luta que conseguimos negociar o pagamento da atualização em 2022. Confiamos na palavra da gestão do prefeito Chrystophe, mas infelizmente até agora os professores de Canhoba não receberam o piso de 2022 de forma integral e já temos o novo percentual para 2023. Ao não se abrir para o diálogo com a categoria a gestão gera uma situação ruim, um clima de insegurança entre os professores. Esperamos que até o fim da semana realmente tenhamos uma data para a audiência. O SINTESE está, e sempre esteve, aberto ao diálogo. Lembrando que o piso não é favor, é Lei”, coloca a diretora do departamento de bases municipais, professora Emanuela Pereira.

É sempre importante dizer que atualização do piso salarial é garantida, desde 2008, a professores e professoras da rede pública de todo o Brasil por meio da Lei Nacional 11.738. A Lei diz que o piso deve ser atualizado anualmente, sempre em janeiro. A atualização deve ser feita de forma automática e assegurando os direitos da carreira, cumprindo decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) e Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Agora, em janeiro de 2023, o SINTESE já encaminhou novo ofício ao prefeito Chrystophe Divino, informando o percentual da atualização do piso salarial desde ano, que é de 14,95%, solicitando audiência e abertura do canal de diálogo e negociação.