Colóquio visa fortalecer ancestralidade, narrativas e saberes do povo negro e dos povos originários

125

A ancestralidade, os saberes tradicionais, a cultura popular, o pertencimento, essas e outras temáticas estarão presentes em mais um Colóquio de Narrativas Negras e Indígenas para além do 20 de novembro e 19 de abril, que acontece no dia 20 de julho, sábado, no auditório da Central Única do Trabalhadores (CUT), em Aracaju, das 8h às 12h.

A atividade é organizada pelo Coletivo de Combate ao Racismo do SINTESE, Kilomaloca, e é aberta a toda comunidade, professoras e professores interessados na temática. A inscrição é realizada pelo link abaixo:

INSCREVA-SE AGORA

Com o tema central “(In)visibilidade e multiplicidade dos saberes decoloniais”, o Colóquio traz os conhecimentos e as trocas de saberes ancestrais para a roda de narrativas, com o intuito de desconstruir padrões e conceitos impostos historicamente, pelo eurocentrismo engendrado nas estruturas de nossa sociedade, a partir da pluralidade de vozes e caminhos que o conhecimento do povo negro e dos povos originários traçaram, traçam e traçarão ao longo da (des/re)construção da história.

Nos guiarão por estes caminhos como Narradoras e Narradores do Colóquio:

-Josefa do Sítio Alto: Mestra em Cultura Popular, líder Comunitária
-Zefa da Guia: Mestra Popular, parteira e rezadeira do Sertão
-Heleno Lima Xokó: Ex-Cacique, ancião do povo Xokó
-Wendel Salvador: Professor, pesquisador, artista

O Colóquio Narrativas Negras e Indígenas para além do 20 de Novembro e 19 de Abril, que esse ano será um evento único, é alusivo ao Dia Internacional de Nelson Mandela (18 de julho) e Dia internacional dos Povos Indígenas (09 de agosto).