Magistério de Malhada dos Bois suspende aulas para reivindicar atualização do piso salarial

228

Em Malhada dos Bois professores e professoras seguem em luta por direitos. Por isso, nesta quinta-feira, dia 24, a categoria paralisou suas atividades e fez mobilização para denunciar e avaliar o atual cenário de desrespeito a lei e não cumprimento da atualização do piso salarial de 2022, por parte da gestão do prefeito Augusto César Aguiar Dinizio.

Ao não cumprir a Lei, e não assegurar a atualização do piso ao magistério, a gestão municipal gera cenário de empobrecimento entre professores e professoras da rede municipal de ensino, que chegam a ter perdas mensais entre 550 e 1.500 reais em suas remunerações, a depender do nível e classe que se estejam em suas carreiras.

Infelizmente, a gestão do prefeito, César, tem sido marcada pela falta de diálogo. Não se vê por parte da administração municipal a busca de caminhos para sanar os problemas e assegurar direitos de professores e professoras.

Em mais uma tentativa de abrir a via do diálogo e negociação, na próxima segunda-feira, dia 28, uma comissão de professores e professoras irá protocolar ofício, junto a prefeitura, solicitando audiência com o gestor municipal.

Professores e professoras também deliberaram realizar ações nas redes sociais e participação no programa de rádio “SINTESE em Ação”, da região do Baixo São Francisco I. A mobilização midiática está também entre as tentativas de buscar o diálogo com a administração municipal, no intuito de que sejam abertas as negociações para definir como e quando será feito o pagamento da atualização do piso de 2022.

Presente na atividade dos professores e professoras de Malhada dos Bois, a diretora do departamento de Bases Municipais do SINTESE, professora Emanuela Pereira, fez questão de pontuar que a atualização do piso não é favor e que o Sindicato está aberto ao diálogo.

“É algo que sempre dizemos, mas que vale reforçar: A atualização do piso não é um favor, é um direito garantido por Lei, que deve ser cumprido por prefeitos e prefeitas. Esperamos que o prefeito de Malhada dos Bois atenda as nossas reivindicações e não queira que sua gestão fique marcada pela falta de diálogo, pelo desrespeito a educação e aos direitos dos professores e professoras. Aproveitamos para novamente reiterar que o SINTESE segue aberto ao diálogo”, afirma a dirigente sindical.

O piso salarial é garantido a professores e professoras da rede pública de todo o Brasil, desde 2008, pela Lei Nacional 11.738. A Lei é taxativa ao afirmar que o piso deve ser atualizado anualmente, sempre em janeiro. A atualização deve ser feita de forma automática e assegurando os direitos da carreira, cumprindo decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) e Superior Tribunal de Justiça (STJ).