Poço Verde: Professores e professoras ocupam prefeitura e conseguem marcar audiência com gestão municipal

103

Cansados de esperar, professores e professoras de Poço Verde, ocuparam a sede da prefeitura municipal, na terça-feira, dia 14, para exigir que o prefeito, Iggor Oliveira, receba a categoria em audiência.

Em 2022, a gestão do prefeito, Iggor Oliveira, pagou 15% da atualização do piso salarial e se comprometeu com professores e professoras a marcar nova audiência, em novembro daquele ano, para negociar o pagamento do restante do percentual de atualização. Vale lembrar que em 2022 o percentual de atualização do piso salarial do magistério, estabelecido por Lei, foi de 33,24%.

O ano de 2022 chegou ao fim, 2023 iniciou, com ele o novo percentual de piso para este ano (14,95%) e a promessa da gestão municipal de Poço Redondo, junto aos professores e professoras, não foi cumprida.

Mas mobilização dos professores e professoras, nesta terça-feira, deu resultados. O prefeito encaminhou ao SINTESE ofício marcando audiência para o dia 28 de fevereiro, às 14h, na sede da prefeitura.

“Esperamos que na audiência, do dia 28, a administração municipal apresente uma proposta para a categoria e que pague o restante do percentual de 2022 o quanto antes. Já temos o percentual de atualização de 2023 e almejamos também que a gestão inicie o diálogo e negociação sobre o percentual deste ano. Vale lembrar que o piso salarial do magistério não é um favor, é um direito garantido a professores e professoras, assegurado por Lei, e que deve ser cumprido pelos gestores municipais. Esperamos que a gestão de Poço Verde opte pelo caminho da Lei e de respeito aos direitos magistério”, enfatiza o coordenador do SINTESE, na região Centro Sul do estado, professor Estefane Lindeberg.

A atualização do piso salarial é garantida, desde 2008, a professores e professoras da rede pública de todo o Brasil por meio da Lei Nacional 11.738.

A Lei diz que o piso deve ser atualizado anualmente, sempre em janeiro. A atualização deve ser feita de forma automática e assegurando os direitos da carreira, cumprindo decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) e Superior Tribunal de Justiça (STJ).