“Premiação é exclusão, queremos valorização”, disse presidente do SINTESE ao rejeitar prêmio

226

Na manhã de hoje, dia 20 de dezembro, o presidente do SINTESE, Roberto Silva, protocolou ofício na Secretaria de Estado da Educação e da Cultura (Seduc) rejeitando o Projeto Educação Nota 10 (confira abaixo), recebido através da escola em que trabalha. “Premiação é exclusão, queremos valorização, através da retomada da carreira”, frisou Roberto.

“O SINTESE repudia o Projeto “Educação Nota 10”, que institui uma política de ranqueamento das escolas a partir de um instrumento meritocrático, desconhecido pelos educadores e educadoras. Os trabalhadores e as trabalhadoras em educação das unidades de ensino desconhecem os critérios dessa premiação excludente, por isso, a revolta é generalizada”, destacou o presidente.

No ofício, professor Roberto pede que o valor não seja depositado em sua e, caso seja depositado, será devolvido para os cofres do Estado. “Esta decisão está ancorada no princípio, defendido por esta entidade sindical, que todos e todas docentes lotados nas Unidades de Ensino e nos Órgãos da Seduc devem receber o abono especial, já que fica nítido a disponibilidade financeira do Estado em premiar os trabalhadores em educação. Portanto, caso não seja realizado o pagamento de bonificação para todos e todas nos recusamos a receber uma premiação excludente e predatória para educação estadual”, disse Roberto no ofício.

Além de criar um ambiente de disputa entre professoras e professores, este prêmio não é incorporado aos vencimentos, não contando em cálculos como aposentadoria. “O SINTESE sempre defendeu e lutou por uma política de valorização profissional que dignifique todos (as) professores (as). O que foge a isso não é valorização, é enganação, é uma tentativa de desmobilizar a nossa luta por carreira”, disse.

Por isso, o SINTESE convoca professoras e professores para um ato amanhã, dia 21 de dezembro, às 8h, no Teatro Atheneu, contra o Projeto Educação Nota 10. “Vamos reforçar para o governo que queremos valorização e carreira, não exclusão. Contamos com todas e todos”, conclamou o presidente.