PSS para Apoio 1 e Apoio 2 não vai cobrir a vacância dos contratos que vencem em 30 de maio

151

Depois das cobranças dos estudantes da rede estadual de ensino, Emmanuel Moraes e Kamile Nunes, de que no próximo dia 30 de maio vencem todos os contratos de Apoio 1 e Apoio 2, que são trabalhadores e trabalhadoras que atuam junto a professores e professoras na inclusão social de pessoas com deficiência em sala de aula, e sem previsão de novas contratações, o Governo de Sergipe anunciou a realização de um processo seletivo simplificado (PSS) para a contratação de profissionais para esta função, mas a quantidade é muito inferior à existente.

Atualmente, são 301 profissionais de Apoio 1 e 524 profissionais de Apoio 2 e todos terão seus contratos encerrados em 30 de maio. No Diário Oficial de hoje, 28 de maio, a edição 29.408 traz a autorização do PSS para a contratação de apenas 182 Apoio 1 e 369 Apoio 2, quase metade da quantidade de profissionais em atuação no momento.

No mês de abril, outros contratos foram encerrados e não foram renovados, ou seja, a quantidade de profissionais nestas funções caiu consideravelmente. “São mais de cinco mil alunos com deficiência na rede estadual de ensino. Esse quantitativo de Apoio é insuficiente”, destacou Roberto Silva, presidente do SINTESE.

“É vergonhoso. Em função da repercussão negativa com as denúncias dos estudantes, o governo tenta, mais uma vez, enganar a sociedade com o anúncio de um PSS para a contratação de uma quantidade pífia e insuficiente de Apoio. Vamos pedir a intervenção do Ministério Público para garantir que todos os alunos com deficiência tenham o apoio pedagógico necessário para assegurar seu direito à educação”, afirmou Roberto.