SINTESE busca repostas e pede imediato pagamento das férias de professoras e professores da Rede Estadual de Ensino

83

O SINTESE esteve na Secretaria de Estado da Educação e da Cultura (Seduc), na quinta-feira, dia 29, para tratar sobre o grupo de professoras e professores da Rede Estadual de Ensino que até o momento ainda não recebeu os valores relativos às férias de janeiro (1/3ferial).

Para buscar respostas e pedir imediata solução, o presidente do SINTESE, professor Roberto Silva, juntamente com a assessoria política do Sindicato, se reuniu com o setor de pagamentos da Seduc.

A explicação dada pelo responsável do setor, durante a reunião com os representantes do SINTESE, é de que pagamento das férias não ocorreu para um grupo de professoras e professores devido a um problema no sistema de pagamento, em função do ciclo aquisitivo que gera para os educadores da Rede Estadual o direito de receber os valores referentes às férias.

Para o presidente do SINTESE, diante do que foi exposto, o Governo do Estado, junto a Seduc, pode resolver a questão, basta apenas interesse. O professor Roberto Silva alerta para a necessidade de uma resolução imediata do problema, pois, caso não seja feito, a situação irá virar uma “bola de neve”.

“A forma como nos foi explicado pelo responsável do setor de pagamento da Seduc, é que o sistema só permite o pagamento de férias em um ciclo de 6 meses, ou seja, as professoras e professores que ainda não receberam as férias, caso o problema não seja solucionado imediatamente, também terão problemas para receber os valores relativos às férias do meio do ano [1/6 ferial]. Se não for resolvido agora, professoras e professores, mais uma vez, não irão receber suas férias dentro do período de gozo. Por isso, é preciso que o Governo do Estado faça já a correção no sistema para garantir, agora na folha de março, o pagamento a todos os professores que ainda não receberam suas férias”, afirma, o presidente do SINTESE.

Para que não haja um problema maior no meio ano de 2024, a resolução imediata urge. O ajuste no sistema de pagamento já deve ser pensado visando que não aconteça o mesmo no período das férias junho/julho. E que em 2025 o Governo do Estado tenha esse mesmo cuidado de fazer o pagamento no mês em que as professoras e o professores estão em gozo do direito de férias.

Para o SINTESE não há dúvida que toda a resolução para essa grave problemática passa por um compromisso político do Governo do Estado e da Seduc de realizar os ajustes necessários no sistema de pagamento.

O Sindicato pediu ainda reunião com o Departamento de Recursos Humanos da Seduc (DRH). E irá solicitar também audiência com a Secretaria de Estado da Administração (Sead), já que a Secretaria é a responsável pela gestão do sistema de pagamento.

Mais uma vez ressaltando, o SINTESE defende que o pagamento seja feito na folha de março para todos os professores e professoras que ainda não receberam os valores relativos às férias (1/3ferial) e vai levar tal defesa para a reunião com o DRH da Seduc e com a Sead.