Tobias Barreto: gestão municipal diz cumprir com atualização do piso, quando na verdade não cumpre

241

Ludibriar. Nenhuma gestão municipal deveria querer ver sua imagem ligada a tal verbo, mas a prefeitura de Tobias Barreto parece não se importa.

Em um momento que era para ser de negociação, o Secretário Municipal de Administração de Tobias Barreto, afirmou a professores e professoras que a atualização do piso de 2022 já estava sendo paga e que não tinha nada mais para repassar a categoria. Isso não é verdade

A tosca tentativa de ludibriar professores e professoras aconteceu em audiência na última quinta-feira, dia 24. Audiência essa que o prefeito, Dilson de Agripino, disse que iria comparecer, mas não apareceu e mandou seu recado distorcido pelo Secretário de Administração.

Vamos aos fatos: O percentual para a atualização do piso salarial para 2022, estabelecido por Lei, é de 33,24%. Em maio, a prefeitura de Tobias Barreto pagou 10,06% aos professores e professoras e se comprometeu a negociar com a categoria as formas de pagamento dos 23,18% restantes.

A administração municipal de Tobias Barreto chegou até a criar um Grupo de Trabalho para buscar alternativas para o pagamento do percentual total da atualização do piso. Infelizmente, as reuniões não evoluíram e nada foi apresentado ao SINTESE durante o processo de negociação.

E agora a gestão municipal de Dilson de Agripino cria uma narrativa própria, fictícia e ludibriadora dizendo que não deve mais nada aos professores e professoras da rede municipal e que a atualização do piso já está sendo paga.

O coordenador do SINTESE na região centro sul do estado e professor da rede municipal de ensino de Tobias Barreto, Estefane Lindemberg, resumiu a situação em uma palavra: decepção

“Sem dúvidas decepção é o sentimento que toma toda a categoria. É uma situação absurda, é ofensivo para nós, em um momento de negociação, em uma audiência, ouvir de um secretário desta gestão que a prefeitura não tem mais nada para repassar a categoria, que o piso já está sendo pago, quando na verdade não está. A sensação é que querem nos fazer de bobos. A negativa de pagamento, informada pelo Secretário de Administração, só traz inquietação e desgosto ao magistério público de Tobias Barreto. Vamos seguir na luta por nosso direito”, afirma taxativamente o dirigente do SINTESE

Nesta segunda-feira, dia 28, às 19h, a categoria vai se reunir em assembleia para traçar ações e encaminhamentos de luta

É sempre importante lembrar que atualização do piso salarial é garantida, desde 2008, a professores e professoras da rede pública de todo o Brasil por meio da Lei Nacional 11.738. A Lei diz que o piso deve ser atualizado anualmente, sempre em janeiro. A atualização deve ser feita de forma automática e assegurando os direitos da carreira, cumprindo decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) e Superior Tribunal de Justiça (STJ)

Para 2022 o percentual estabelecido pela Lei é de 33,24%