Tobias Barreto: professoras e professores seguem em luta por pagamento de atualização do piso

441

Embora tenha negociado garantir o pagamento da atualização do piso de 2022 a professores e professoras, a gestão municipal de Tobias Barreto, que tem à frente o prefeito, Dilson de Agripino, não cumpriu com sua promessa.

Por isso, na manhã desta terça-feira, dia 22, professores e professoras fizeram ato pelas ruas da cidade para cobrar que o prefeito cumpra com sua palavra e assegure o pagamento integral da atualização do piso salarial.

Para 2022 o percentual de atualização do piso salarial para professores e professoras é de 33,24%, conforme estabelecido por Lei. A prefeitura de Tobias Barreto havia negociado com os dirigentes do SINTESE que faria o pagamento do valor do piso salarial em parcelas. No mês de maio a primeira parcela, de 10,06%, foi paga. Mas já estamos no mês de novembro e até agora professoras e professores não sabe quando irão receber o restante.

A gestão de Tobias Barreto criou um Grupo de Trabalho, formado por dirigentes do SINTESE, comissão de negociação do Sindical e membros da administração municipal, para encontra alternativas e formas de assegurar o pagamento dos 23,18% restantes do valor total da atualização do piso para 2022. No entanto, após 4 reuniões do Grupo, nada ficou definido.

A próxima reunião do Grupo de Trabalho está marcada para quinta-feira, dia 24. O coordenador do SINTESE e professor da rede municipal de Tobias Barreto, Estefane Lindemberg, afirma que professores e professoras seguirão mobilizados.

“A reunião do Grupo de Trabalho seria nesta terça, mas ontem fomos informados que a mesma foi remarcada para o dia 24. Seguiremos mobilizados, na luta por nosso direito. O pagamento da atualização do piso salarial não é um favor, é Lei e deve ser cumprida. Esperamos que o prefeito, Dilson de Agripino, não queira que sua gestão seja marcada por falta de compromisso com a educação municipal e por promessas não cumpridas. O SINTESE segue, como sempre, aberto ao diálogo e negociação”, enfatiza o dirigente Sindical.

Vale sempre lembrar que a atualização do piso salarial é garantida, desde 2008, a professores e professoras da rede pública de todo o Brasil por meio da Lei Nacional 11.738. A Lei diz que o piso deve ser atualizado anualmente, sempre em janeiro. A atualização deve ser feita de forma automática e assegurando os direitos da carreira, cumprindo decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) e Superior Tribunal de Justiça (STJ).