Vitória da luta: estudantes de povoados de Nossa Senhora do Socorro voltarão a ter transporte escolar

41

Quando falamos que a luta faz a Lei e traz a vitória é uma fala que carrega verdades e não excessos ou exageros. Prova disso, foi a luta empenhada por mães, pais e demais responsáveis por estudantes da Rede Estadual de Ensino, moradores povoados de Nossa Senhora do Socorro, para o retorno do transporte escolar para todos os estudantes: O Tribunal de Contas do Estado de Sergipe (TCE) recomendou que a Secretaria de Estado da Educação e da Cultura (Seduc), retome imediatamente o transporte escolar nas localidades.

Na quarta-feira, dia 11, aconteceu mais uma audiência no Tribunal de Contas, solicitada pelo SINTESE, na busca por solucionar o grave problema gerado pela Secretaria de Estado da Educação, quando, de forma autoritária e sem qualquer diálogo com as comunidades, suspendeu o serviço de transporte escolar para uma parcela dos estudantes da Rede Estadual de Ensino, de oito povoados de Nossa Senhora do Socorro, no início do ano letivo de 2024.

Desta vez, a audiência no TCE foi conduzida pelo conselheiro José Carlos Felizola e pelo procurador do Ministério Público de Contas, Eduardo Côrtes, que solicitou a presença do secretário de estado da educação, Zezinho Sobral.

Com a presença do secretário, o Ministério Público de Contas fez recomendação do retorno imediato do transporte escolar para atender aos estudantes dos povoados de Nossa Senhora do Socorro, tanto os estudantes do ensino fundamental, como os estudantes do ensino médio e também aqueles matriculados na rede estadual de ensino no turno da noite.

O presidente do SINTESE, professor Roberto Silva, relembra que assim que o Sindicato foi procurado pela comissão de pais dos povoados atingidos pela descabida medida, buscou audiência junto ao Tribunal de Contas. O professor Roberto acredita que a mediação do TCE foi fundamental na busca de solução para o problema.

“Entendemos com fundamental essa mediação, tanto do conselheiro Felizola, como do procurador Eduardo Côrtes, pois uma saída foi encontra e foi justamente o que a gente reivindicava: a manutenção de um serviço, que já vinha ocorrendo no ano letivo de 2023 e que foi suspenso, de forma abrupta, em 2024. Esperamos a partir de agora não ter mais este problema, pois garantir acesso e permanência de criança e jovens à educação é um dever do estado”, coloca o presidente do SINTESE.

O professor Roberto Silva, aproveitou a oportunidade para parabenizar as comunidades dos povoados de Nossa Senhora do Socorro pela forte e bonita luta feita ao longo do último mês.

“Sabemos que a luta tem seus lugares difíceis, mas sabemos também, e sempre falamos isso para a nossa categoria, que o tamanho da nossa luta é o tamanho da nossa vitória. E sem dúvida estudantes, mães e pais dos povoados de Socorro saem vitoriosos, porque souberam se manter fortes e unidos mesmo quando a luta apresentou seus “lugares difíceis”. Parabenizamos a todas e todos, que fizeram parte dessa luta e por essa bela vitória. O SINTESE está à disposição, sempre ao lado da educação pública”, finaliza.