Revista Paulo Freire_47

    54
    • Version
    • Download 30
    • Tamanho do Arquivo 28.74 MB
    • File Count 1
    • Criar data 13 de maio de 2024
    • Ultima Atualização 13 de maio de 2024

    Revista Paulo Freire_47

    Primeiras palavras

    Um convite permanente ao diálogo

    Ainda repercute muito bem as últimas edições da Revista Paulo Freire, a exemplo da que apresentou a questão indígena em Sergipe e a edição 46, que tratou do financiamento da Educação Pública. Assim, sentimos que, aos poucos, a nossa publicação vai chegando nos professores, alunos, pais e vai gerando algum interesse de pesquisa e de debate.
    Além de receber, ler, analisar criticamente os textos da Revista Paulo Freire e, principalmente, discutir sobre as temáticas aqui propostas com colegas, alunos e outras pessoas, gostaria de reforçar que, de algum modo dialógico, a nossa publicação também quer receber sua contribuição em forma de textos. Sim, estamos abertos e lhe convidando ao diálogo. Nosso e-mail é: revistapaulofreire@sintese.org.br
    Seus artigos são acolhidos e analisados pelo Conselho Editorial da Revista Paulo Freire. Sintam-se convidados a participar desse grande ambiente de proposição para a emancipação, fazendo deste instrumento - a revista – uma denunciadora da opressão e escravização dos seres e uma anunciadora de um tempo de boniteza, como dizia Paulo Freire.
    Para a edição que vocês têm em mãos ou que estão lendo nas telas (edição 47), propomos uma discussão sobre a importância vital para todos nós dos vários mecanismos de controle social, especialmente o acompanhamento e o controle social do FUNDEB, texto escrito pela professora Rita de Cássia Santos.

    Vale destacar com ênfase nesta edição o importante texto do professor Antônio Fernando de Araújo Sá, do Departamento de História da Universidade Federal de Sergipe, sobre os 60 anos do golpe e da ditadura militar no Brasil. Para Fernando Sá, “Estruturada por uma narrativa democrática e antifascista, a construção de uma pedagogia da memória pode nos proporcionar futuros mais democráticos e menos violentos, desenvolvendo ações comunitárias e itinerantes”.
    Como não poderia deixar de ser, o foco principal da nossa revista é a questão da luta por uma educação antirracista. Temos três artigos excelentes.
    O primeiro é do professor Roberto Amorim que aponta as barreiras e impasses estruturais que dificultam o cumprimento da Lei 10.639/03. Lembram dela? Essa lei obriga as Escolas do Ensino Fundamental e Médio a ensinarem sobre História e Cultura Afro-brasileira. É uma leitura obrigatória.
    Também na mesma linha, com outro modo de olhar, o professor Evanilson França mostra que já se passaram 21 anos da Lei 10.639/03 e ela parece ter ficado na “zona do não ser”. O professor faz uma interessante análise sobre o império do racismo e o silenciamento das/os condenadas/os da Terra. Evanilson apresenta dados relevantes de uma pesquisa em Sergipe.
    Para completar essa temática, o professor José Fernando Santos Gramoza discute a partir do lugar de fala da juventude negra na BNCC e no Novo Ensino Médio. Para isso, Gramoza nos brinda com os pensamentos de Sílvio de Almeida, Djamila Ribeiro, Conceição Evaristo e Angela Davis, e como essas pensadoras e pensadores nos ajudam a perceber a invisibilidade da juventude negra.
    Bom, e encerro reforçando o convite para o diálogo: leia, analise criticamente os textos da Revista Paulo Freire, discuta sobre as temáticas e, principalmente, escreva para nós, apresente seus textos.

    Roberto Silva
    Presidente do SINTESE

    Attached Files

    ArquivoAçao
    Revista Paulo Freire 47.pdfViewDownload