22 de julho: mais um dia de luta dos professores e professoras da rede estadual

397

Desde de março de 2022, o dia 22 de cada mês tem sido dia de luta para professores e professoras da rede estadual.  E este 22 de julho não seria diferente. O cenário agora é a cidade de Itaporanga d’Ajuda, onde professores e professoras farão ato, às 8h, com concentração na Praça da Estação.

O objetivo mais uma vez é lembrar a população os nomes dos deputados e deputadas, que foram coniventes ao Governo Belivaldo Chagas, e destruíram a carreira do magistério e também a paridade entre ativos e aposentados.

Os professores e professoras de Aracaju e região metropolitana, que desejam participar do ato em Itaporanga, devem entrar em contato com o SINTESE, pelo telefone 2104-9800, solicitar falar com o departamento de Base Estadual, e deixar seu nome e contato telefônico.

Já os professores e professoras que moram nas demais regiões do estado devem entra em contato com as subsedes do SINTESE em suas regiões. Veja no link o contato de cada uma das subsedes regionais: https://www.sintese.org.br/2009/04/14/sub-sedes-regionais/b

Dia de luta

O maldoso projeto político somado a retirada de diretos promovidos pelo Governo de Belivaldo Chagas fez com que professores e professoras declarassem o dia 22 de cada mês como um dia de mobilização da categoria. A data retoma o último 22 de março, dia em que 14 deputados e deputadas aprovaram projetos de Lei, enviados a Assembleia Legislativa, por Belivaldo Chagas, que jogaram uma “pá de cal” na carreira do magistério sergipano.

De uma só vez professores e professoras da rede estadual tiveram o direito a Regência de Classe incorporado; sofreram o congelamento dos valores do triênio; foi também congelada a gratificação de professores e professoras que trabalham no tempo integral e, para completar, o governo igualou o salário de todos que estão em atividade.

O pacotão de maldades também acabou com a paridade entre professores da ativa e aposentados.

“Ao longo desses meses, todo o dia 22 fizemos atos, não só em Aracaju, mas também no interior do estado, para expor a população o massacre feito por Belivaldo Chagas a carreira dos professores e professoras, com conivência de 14 deputados. E seguiremos nessa luta, até dezembro, todo o dia 22, relembrando todas as maldades de Belivaldo e de seus aliados. Os professores e professoras não vão esquecer e não deixaremos a população do nosso estado esquecer também”, afirma o presidente do SINTESE, professor Roberto Silva.

As atividades nas escolas NÃO serão paralisadas

É importante destacar que o dia 22 de julho NÃO será um dia de paralisação da rede estadual de ensino, as escolas estarão funcionando normalmente. O dia 22 de julho é um dia de luta do magistério, conforme deliberado em assembleia da categoria, ocorrida no dia 6 de julho.