Professoras e alunos da E.E. ProfªJudite Oliveira são premiados na IX Olimpíada Ambiental

397
Professoras Sandra Beiju e Glícia Marçon com os estudantes da E.E Profa. Judite Oliveira

Professoras Sandra Beiju e Glícia Marçon com os estudantes da E.E Profa. Judite Oliveira

Na solenidade de premiação da IX Olimpíada Ambiental ocorrida na última terça-feira, 02, no Teatro Tobias Barreto as professores Sandra Beiju e Mônica Mota junto com os estudantes da Escola Estadual Professora Judite Oliveira apresentaram seu protesto contra a atual política do Governo de Sergipe com a rede estadual.

O projeto “Quem é esse rio? Um Estudo Crítico sobre o Rio Poxim” desenvolvido pelas professoras e estudantes recebeu o segundo lugar na olimpíada entre 2791 trabalhos de escolas públicas e particulares que participaram do evento.

Os alunos levaram cartazes e as professores foram vestidas com a camisa de luta que traz uma das pautas de reivindicação dos professores, que é o reajuste do piso em 2015 de 13,01%.

Em um dos cartazes “Imagina se o Governo não nos abandonasse” mostrando o potencial que, por falta de iniciativa do governo do Estado em ter uma política educacional séria e consequente, é perdido nos bancos escolares.

O projeto foi iniciado em abril deste ano e ainda está em execução, segundo Sandra Beiju, ao término da greve há uma “infinidade de atividades planejadas”. Ela conta também que tanto ela quanto a professora Mônica decidiram ir à premiação com a camiseta teve a intenção de mostrar que a escola pública tem profissionais comprometidos com a formação científica dos estudantes e que eles têm imensa capacidade intelectual.

Logo que saber que o projeto estava entre os primeiros colocados, Sandra fez um desabafo pelas redes sociais. “Apesar de todo o descaso do Governo de Sergipe com a escola pública, nós professoras e professores, não desistimos nunca de imprimir qualidade ao nosso fazer, por compromisso e identidade social de classe com o nosso alunado”. Além do projeto, textos dos alunos também se classificaram entre os dez primeiros. Ao final do projeto, que também contou com a participação da educadora Glícia Marçon, as professoras planejam reunir o conteúdo estudado em um livro paradidático.