Porto da Folha: prefeitura remarca data de audiência para tratar sobre atualização do piso salarial do magistério

590
Professores e professoras de Porto da Folha estão em estado permanente de assembleia e decidiram adiar o ato desta segunda, 24, diante da nova data de audiência marcada pela prefeitura

Após mobilização de professores e professoras de Porto da Folha, o prefeito do município, Miguel de Dr. Marco, antecipou data de audiência com a categoria. Com isso, os professores e professoras decidiram em assembleia, que aconteceu nesta segunda-feira, dia 24, adiar ato que seria realizado na manhã de hoje e aguardar até o dia da audiência com a gestão municipal para traçar novos encaminhamentos de luta. A audiência com a prefeitura será no dia 22 de fevereiro.   

No último dia 10 de janeiro um grupo de professores e professoras, acompanhados da direção executiva e da coordenação da subsede do Alto Sertão do SINTESE, fez uma vigília no prédio da prefeitura de Porto da Folha. O intuito era marcar uma data de audiência com o prefeito para tratar sobre a valorização do magistério local. Professores e professoras da rede municipal de ensino estão desde 2018 sem atualização do piso salarial.

A proposta da prefeitura era receber o SINTESE em audiência somente no mês de março. Diante de uma data tão longínqua e da necessidade urgente de se debater a atualização do piso salarial e valorização do magistério, professores e professoras decidiram fazer um ato público nesta segunda-feira, 24, para chamar a atenção da população para a forma como a gestão municipal tem tratado a educação em Porto da Folha.

Mas a prefeitura voltou atrás e em ofício encaminhado ao SINTESE remarcou a data da audiência para o dia 22 de fevereiro. Em assembleia professores e professoras deliberaram por não realizar o ato nesta segunda-feira, dia 24, e aguarda a audiência com o prefeito.

Para a diretora do departamento de bases municipais do SINTESE, professora Ivônia Ferreira, a categoria espera que a abertura do diálogo seja também o início da negociação para a atualização do piso salarial.

“A categoria acredita no canal de negociação, estamos abertos ao diálogo. Esperamos que o prefeito cumpra com o que determina a lei e restabeleça o pagamento do piso salarial ao magistério de Porto da Folha. A categoria está em estado permanente de assembleia e hoje deliberou aguardar pela audiência do dia 22 de fevereiro, na perspectiva de que seja apresentada proposta de atualização do piso salarial.  No mesmo dia 22 fevereiro faremos uma nova assembleia e, não havendo apresentação de proposta, a categoria prevê a realização de um ato público pela ruas da cidade”, coloca a dirigente do SINTESE.

É sempre importante lembrar que o piso salarial dos professores é assegurado, desde o ano de 2008, pela Lei Nacional 11.738/2008, que é taxativa ao afirmar que professores e professoras, da rede pública de todo Brasil, devem ter o piso salarial atualizado anualmente, sempre no mês de janeiro, respeitando a carreira.