SINTESE repudia ataques de Vereador em Tobias Barreto

210

Mais uma vez o vereador Gilson Ramos se utiliza da imunidade parlamentar para atacar o SINTESE. Em pronunciamento na tribuna da Câmara de Vereadores de Tobias Barreto diz que o sindicato indicou o secretário de Educação e que estaria enganando os professores e professoras no que diz respeito a atualização do piso do magistério.

Primeiro, não é função ou competência do SINTESE fazer a indicação de secretário de Educação ou de qualquer outra pasta. Essa é uma ação, no caso de Tobias Barreto, do prefeito. E o vereador sabe disso, mas prefere atacar o sindicato, não se sabe por quais motivos.

Segundo, todo o processo de negociação entre a comissão de negociação, a direção do sindicato e a prefeitura de Tobias Barreto é, como sempre tem sido, informado nas assembleias da categoria. Todos os aspectos são apresentados e os professores e professoras decidem o que avaliam como melhor e o sindicato encaminha a decisão da assembleia.

No caso da negociação atual, ela ainda está em andamento. Os professores e professoras decidiram aceitar a proposta da administração e, neste momento, ter em seus vencimentos iniciais 10,06%. A forma de completar os 33,24%, que é o índice de atualização do piso de 2022, será discutida no decorrer do ano em uma comissão formada por integrantes do SINTESE e da administração.

Com isso posto, o SINTESE repudia a fala do vereador e lembra que essa não é a primeira vez que o vereador Gilson Ramos ataca o SINTESE de forma desrespeitosa. Tempos atrás, usou a imunidade parlamentar para atacar a comissão de negociação tobiense. Foi processado por calúnia e difamação, perdeu o processo, pois não pode provar as acusações e, de acordo com a sentença, deve R$3 mil a cada integrante da comissão.

O papel do vereador é representar o povo em seus anseios, sugerir melhorias na cidade, aprovar orçamento, criar leis que amparem o povo em seus direitos, fiscalizar o poder executivo no uso dos recursos públicos. Ao atacar o SINTESE, que é o representante do magistério no município, ele também ataca a cada professor e professora das escolas municipais de Tobias Barreto.