Graccho Cardoso: Professoras e professores fazem vigília e cobram salários do mês de junho

170

Hoje é dia 14 de julho e até o momento as professoras e professores das escolas municipais não receberam os salários referentes ao mês de junho. Para saber quais motivos do atraso, pois em nenhum momento a administração municipal deu alguma justificativa, um grupo de educadoras e educadores fizeram uma vigília em frente à prefeita e cobraram audiência com a gestão de José Arakem Aragão.

O grupo foi atendido pelo secretário de Gabinete e Comunicação, Ricardo Aragão. Ele alegou que o atraso se deve ao bloqueio/sequestro do valor de R$860 mil das contas da prefeitura devido a dívidas referentes à precatórios. Informou ainda que a administração fez a solicitação judicial.

Para a coordenação da subsede do SINTESE no Alto Sertão, essa justificativa é inusitada, pois em consultas feitas nas contas do FUNDEB (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação) e do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) não há sinalização de bloqueio de recursos.

“Solicitamos da administração que nos envie os dados judiciais do processo e também deste sequestro de recurso. Não dá para as professoras e professores serem punidos pelas dívidas contraídas pela gestão do prefeito José Arakem Aragão”, afirmou o coordenador da subsede do SINTESE na região do Alto Sertão, Cloverton Santos.

O município de Graccho Cardoso já não paga os salários dentro do mês trabalhado e ainda atrasar o pagamento penaliza não só os integrantes do magistério municipal e suas famílias, mas toda a economia do município.