Inércia e desorganização da prefeitura fazem professores de Maruim ficarem sem os salários de dezembro

206
Da esq. para dir. Emanuela Pereira, professora da rede municipal de Maruim e diretora do Departamento de Bases Municipais, Maria Auxiliadora Silva, Alaíde Paes e Balman Paulino da coordenação da subsede do SINTESE na região do Vale do Cotinguiba

A falta de ação para combater as irregularidades na folha de pagamento e a desorganização financeira da administração foram os motivos pelos quais o magistério das escolas municipais de Maruim ainda não receberam os salários do mês de dezembro.

Essas foram as conclusões que os dirigentes do SINTESE e integrantes da comissão municipal de negociação chegaram após a audiência com o prefeito Gilberto Maynart ocorrida na manhã desta sexta, dia 06.

O prefeito justificou que não pagou os salários do magistério por conta do saldo financeiro no final do ano ser insuficiente.

O sindicato tem alertado há meses sobre as irregularidades contidas nas folhas de pagamento e que era imprescindível que a prefeitura fizesse as correções. Elas não foram feitas e agora o conjunto de professoras e professores das escolas municipais maruinenses sofre com isso.

De acordo com o prefeito, a previsão de pagamento é na próxima terça, dia 10, mas que a efetivação dessa promessa depende de diálogo com a Câmara de Vereadores, com o Conselho do Fundeb e por aportes de recursos de 2023. A alegação do gestor municipal de pagar imediatamente é por conta da vedação do uso de recursos de 2023 para quitar pagamentos referentes ao anterior.

Para os dirigentes do SINTESE, a administração de Maruim está com um preciosismo contábil, pois outras prefeituras estão fazendo pagamentos de 2022 com recursos de 2023.
Logo após a audiência foi realizada assembleia e os professores e professoras decidiram que caso os salários não sejam pagos no dia 10, no dia seguinte, dia 11, fazem ato em frente à Secretaria de Educação.

Outros temas
Os problemas no processo de implantação do ensino em tempo integral nas escolas municipais, chamada pública, recursos da Educação e atualização do piso, na carreira, em 2023 também foram pontos tratados na audiência.

A chamada pública diz respeito principalmente às turmas de Educação de Jovens e Adultos da Escola Municipal Sabino Ribeiro e mesmo sem receber salários, os professores e professoras realizam neste sábado, 07, o Dia de D de Matrícula na feira livre do município.

“Mesmo sem os salários de dezembro, os professores e professoras vão estar na feira em busca destes estudantes, pois assumimos o compromisso de realizar essa tarefa”, explica Emanuela.