Magistério rejeita proposta indecorosa do prefeito de Maruim

336

Na manhã da última sexta, 29, professoras e professores em assembleia recusaram a proposta apresentada pelo prefeito de Maruim, Gilberto Maynart para a atualização do piso de 2022 e aprovaram calendário de lutas que inclui paralisação das atividades no dia 18 de maio.

A administração municipal apresentou a aplicação do percentual de 33,24% em parcelas bimensais a ser pagas no período de julho de 2022 a outubro de 2023.

Os professores decidiram apresentar uma contraproposta, de que o pagamento da atualização seja feito nos meses de julho, setembro e novembro.

“Essa é uma proposta indecorosa, para dizer no mínimo. O município de Maruim tem condições financeiras para cumprir o estabelecido pela lei do piso sem fazer um parcelamento nesta extensão”, afirma Emanuela Pereira, diretora do Departamento de Bases Municipais do SINTESE.

Agenda de luta

Os professores e professoras também aprovaram encaminhamentos de luta: a não participação de nenhum projeto festivo das escolas, pois por várias vezes são os professores que acabam investindo dos seus salários, definiram paralisar as atividades no dia 18 de maio, também irão à Câmara de Vereadores para buscar apoio dos parlamentares.