Professores de Feira Nova fazem vigília e cobram revisão do piso

307

Na manhã desta terça, 15, os professores e professoras das escolas municipais de Feira Nova fizeram vigília em frente à prefeitura ao mesmo tempo que a coordenação da subsede Alto Sertão e comissão local de negociação participavam de audiência com a gestão.

Os dirigentes sindicais e os integrantes da comissão reafirmaram que a proposta do magistério é o cumprimento da lei 11.738/2008 que garante a atualização do piso todos os anos a partir do mês de janeiro. Em 2022 o percentual a ser aplicado nos vencimentos iniciais é de 33,24%.

A administração de Feira Nova deve ao magistério a atualização dos anos de 2020 e 2022.

A proposta apresentada pelo prefeito Jean Simon Santos Arcieri, conhecido como Jean de Gerino, para atualização foi de 10,6% sob a argumentação de que a lei do novo Fundeb revogou a lei do piso.

O SINTESE no mês de janeiro publicou nota explicando que esse argumento foi uma manobra da Confederação Nacional dos Municípios para que as prefeituras não fizessem a atualização do piso.
A representação do SINTESE voltou a insistir que a lei do Novo Fundeb não alterou a lei do piso e que é obrigação da prefeitura cumpri-la.

A administração se comprometeu a apresentar em até 15 dias uma nova proposta.

Logo após a audiência, foi realizada uma assembleia onde os professores não aceitaram a proposta de revisão de apenas 10,6%.

Na luta por valorização, professores e professoras, tanto das redes municipais com da rede estadual, vão aderir a paralisação nacional do magistério público na próxima quarta-feira, dia 16.

Em Sergipe professores e professoras farão ato em frente à Assembleia Legislativa, às 8h. Já às 9h a categoria fará uma assembleia para deliberar novas ações de luta.