SINTESE sai vitorioso em processo movido pelo deputado da extrema direita, Rodrigo Valadares

151

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu a favor do SINTESE em ação movida pelo então deputado estadual, Rodrigo Valadares. O SINTESE ganhou na primeira e na segunda instâncias e agora confirmou a vitória também no STJ.

O deputado acusou o SINTESE de calunia e difamação por conta de uma matéria jornalística feita pela Sindicato após uma fala machista do deputado na tribuna da Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese). No entendimento da justiça a ação movida por Rodrigo Valadares, não se sustenta porque o texto publicado no site e nas redes sociais do SINTESE reproduzia a ideia do que foi dito pelo deputado, sem inveracidade dos fatos e com ausência de conduta difamatória.

Com isso, Rodrigo Valadares, foi sentenciado a pagar as custas do processo e os honorários advocatícios.

Lembre o acontecido

Em 1º de junho de 2022, professoras aposentas acompanhavam, na Assembleia Legislativa, a votação do projeto que colocava fim ao longo período, de 2 anos e 2 meses, do confisco de 14% de suas aposentadorias, a qual covardemente foram submetidas pelo Governo do Estado.

O que era para ser um dia feliz, de comemoração e vitória, após uma árdua luta de nossas guerreiras aposentadas pelo fim do confisco, se tornou um dia de constrangimento e indignação.

O então deputado estadual, Rodrigo Valadares, em frente a senhoras, professoras aposentadas, de cabelos brancos, foi à tribuna da Casa Legislativa e disse que o SINTESE, a CUT e entidades ligada à esquerda pareciam aquela “mulher que apanha do marido e não conseguem largar”. Dando a entender que mulheres que estão em situação de violência doméstica se mantêm nessas relações abusivas porque querem ou porque gostam de apanhar.

O tom usado pelo deputado era de tamanho deboche e tão ofensivo, que as professoras aposentadas se sentiram constrangidas e humilhadas. Mulheres que sempre lutaram em entidades de esquerda, muitas que contribuíram para a construção do SINTESE, ouvir ali, na chamada Casa do Povo, um deputado fazendo uma comparação vil, com tom de normatização para uma situação tão grave, que é a violência doméstica, causou indignação e repulsa.

A fala do deputado teve grande repercussão, o SINTESE e suas aposentadas receberam notas de apoio de entidades de esquerda e ligadas à educação, como a Confederação Nacional do Trabalhadores em Educação (CNTE).

“Para nós, do Coletivo de Mulheres Professora Maria José Filha, do SINTESE, e certamente para o conjunto de mulheres da esquerda, é muito representativa essa vitória porque demonstra, não só a Rodrigo Valadares, mas a todos que defendem uma sociedade machista, misógina, que acreditam que é “tudo bem” falar em tom de deboche ou piada  dessa mazela social que é a violência doméstica, que eles não passarão e nem tentarão usar a justiça para esconder suas condutas reprováveis”, afirma taxativamente Simone Freitas, diretora do Departamento de Políticas Sociais e Questões de Gênero, Etnia e Diversidade do SINTESE.