Retomada da carreira: agora é hora da decisão

592

Agora é hora da decisão sobre a retomada da carreira. Em assembleia realizada na manhã desta quinta, dia 31, as professoras e professores da ativa e aposentados decidiram realizar vigília em frente à Secretaria de Estado da Administração no dia da reunião da comissão com os secretários da Educação, Zezinho Sobral e da Fazenda, Sarah Andreozzi, da Administração, Lucivanda Nunes e o diretor presidente do Sergipeprevidência, José Roberto. Essa será a última reunião da comissão antes da audiência com o governador.

A reunião pode ser no dia 08 (sexta) ou 11 de setembro (segunda), a indefinição da data depende se o governo do Estado decretará ponto facultativo pós feriado de 07 de setembro.

“As próximas reuniões são decisivas. Não há estudos mais a fazer, todos os dados foram colocados, os impactos apresentados, há dinheiro para retomar a carreira. Agora depende da vontade política do governo de fato e isso vai exigir de nós pressão e mobilização para que o governo do Estado responda positivamente a nossa pauta”, disse o presidente do SINTESE, Roberto Silva dos Santos.

Além da retomada da carreira, a reunião também discutirá sobre a garantia do retorno do Auxílio Tecnológico, Auxílio Internet e também o descongelamento da GATI (Gratificação por Atividade em Tempo Integral).

A data da reunião com o governador será fechada assim que ele retornar dos Estados Unidos.

A comissão só foi criada por conta da luta do magistério
Vale lembrar que a criação da comissão só se deu após muita luta e mobilização no mês de maio, pois no final do abril o governador tinha sido taxativo ao afirmar que nada mais seria discutido em 2023. Após paralisações, atos públicos, abordagem no aeroporto, a comissão foi criada e as reuniões aconteceram.

A criação da comissão foi importante, mesmo que em um tempo estendido (junho, julho e agosto), para que hoje possamos afirmar categoricamente que o governo pode iniciar a retomada da carreira a partir de setembro, conforme a deliberação da última assembleia realizada em junho. Iniciar a retomada em setembro, de 6% a 15%, e nos anos seguintes (2024, 2025 e 2026) negociar o restante.

“Através da comissão tivemos acesso a dados para que pudéssemos atualizar o debate sobre os impactos da retomada da carreira para os aposentados e aposentadas”, afirmou Roberto Silva, presidente do SINTESE.

Aposentadas e aposentados
Em momento nenhum foi discutida qualquer proposta de retomada da carreira que exclui aposentadas e aposentados. Nossa luta é e sempre será pela paridade entre ativos e aposentados. “Somos uma só categoria, somos professoras e professores e, por isso, o SINTESE não faz negociação que deixe as aposentadas e aposentados de fora. A proposta é para o magistério sergipano. A retomada da carreira é para ativos e aposentados, não tem diferenciação”, afirmou o presidente do sindicato.