Magistério de Pacatuba cobra que vereadores não aprovem projeto que não garante atualização do piso

212

Professoras e professores de Pacatuba participam nesta terça, dia 31 às 9h30, de vigília na Câmara Municipal de Vereadores.
Na ocasião, a comissão de negociação, a coordenação da subsede do Baixo São Francisco II e a direção executiva do SINTESE vão dialogar com os parlamentares para que não aprovem o projeto enviado pela prefeita Manuela Martins com relação ao piso do magistério.

O projeto enviado pela chefe do executivo aplica, nos vencimentos iniciais dos professores e professoras, apenas o índice da inflação do período (fevereiro de 2021 a janeiro de 2022) que é de 10,16%.

O projeto não cumpre, e a prefeita sabe disso muito bem, a Lei Nacional 11.738, que desde 2008, garante a professores e professoras da rede pública de todo o Brasil um piso salarial, que é calculado com base na comparação da previsão do valor aluno-ano, do FUNDEB, dos dois últimos exercícios.

E pela Lei, os professores e professoras devem ter seus salários revisados anualmente, respeitando a carreira, sempre no mês de janeiro, seguindo percentual estabelecido, que este ano é de 33,24%.