Professoras e professoras de Neópolis denunciam política de desvalorização do magistério

331

A chuva que cai em Neópolis não impediu que professoras e professores estivessem nas ruas da cidade. Eles cobram que o prefeito Célio Lemos respeite as decisões judiciais e faça a atualização do piso do magistério.

Hoje aconteceria audiência no Ministério Público de Neópolis sobre o cumprimento da sentença judicial para o pagamento da atualização do piso entre o SINTESE e a administração de Célio Lemos, mas por um pedido da gestão, a audiência foi reagendada para o dia 24 deste mês.

Atualmente o vencimento inicial (salário base) do magistério de Neópolis não chega a R$1.900 e considerando que o valor atual do piso é R$3.845,63, as perdas salariais das professoras e professores de Neópolis ultrapassam os 100%, ou seja, o vencimento inicial da categoria é menos da metade do que deveria ser.

“O impacto da falta de cumprimento da lei por parte da prefeitura não afeta somente aos professores e suas famílias, mas toda a economia do nosso município e as gestões neopolitanas fazem a opção política de desvalorizar essas mulheres e homens que dedicam suas vidas a proporcionar conhecimento aos filhos e filhas do povo de Neópolis”, disse Alecsandra Alves, coordenadora geral da subsede do SINTESE na região do Baixo São Francisco II.