SINTESE entrega à secretária de Educação pauta pedagógica do magistério de São Cristóvão

472

A vice-presidenta do SINTESE Ivonia Ferreira acompanhada das diretoras do Departamento de Bases Municipais Vera Lúcia da Silva, Arlete Costa e do professor Eliel Santos estiveram em audiência na Secretaria Municipal de Educação de São Cristóvão – SEMED. Na pauta a discussão sobre uma série de reivindicações dos professores e professoras nas questões pedagógica, administrativa e trabalhista.

Toda a pauta foi entregue através de ofício e versa sobre questões como criação de salas de atendimento educacional especializado; ampliação do quadro de profissionais como psicólogos, psicopedadogos e assistentes sociais; disponibilizar insumos básicos para todas as unidades de ensino equipamentos como impressoras, copiadoras, armários; organização da rede com vistas de melhorar a distribuição de estudantes por turmas; ampliação no número de profissionais de apoio nas unidades que trabalham com Educação infantil; melhoria na estrutura física das escolas; estabelecimento de uma gestão que seja efetivamente democrática; cumprimento da lei do piso; aumento dos percentuais das gratificações de regência de classe e titulação; entre outros.

Todas as reivindicações foram colhidas em curso de formação realizado na primeira quinzena deste mês pelo SINTESE para os professores e professoras de São Cristóvão.

“No documento que entregamos a secretária de Educação estão as sugestões e reivindicações para que os professores e professoras das escolas municipais de São Cristóvão possam realizar o trabalho de educar os filhos e filhas dos trabalhadores da melhor forma”, disse a vice-presidenta do SINTESE, Ivônia Ferreira.

Recuperação da carreira

Logo após a ida à SEMED, as dirigentes sindicais foram à Câmara de Vereadores, a convite do presidente da casa, para conhecer o projeto de lei enviado pela administração de Marcos Santos que trata da atualização do piso do magistério.

Embora o projeto trate de uma atualização de 20%, acima do que preconiza a lei federal, que é de 14,95%, ainda não atualiza os vencimentos iniciais do magistério sancristovense para o valor mínimo do piso do magistério para a jornada de 40 horas. Com a aprovação do projeto o vencimento inicial em São Cristóvão passa para R$4.200,93, o valor nacional é de 4.420,55.

“Estamos dialogando com gestão de Marcos Santana para que a carreira seja reconstruída e os professores e professoras possam ter direito ao que está na lei”, disse Vera Lúcia da Silva, diretora do Departamento de Bases Municipais.

Assembleia

Na próxima quarta, dia 01, às 14h no Centro Educacional Prado Meireles, o SINTESE realiza assembleia.