Professoras e professores de 26 municípios vão fazer ato, em frente ao TCE, para cobrar atualização do piso de 2024

409

A mobilização das professoras e professores dos 26 municípios sergipanos, que ainda não cumpriram com a atualização do piso salarial de 2024, conforme estabelece a Lei Nacional 11.738/2008, vai acontecer na próxima quinta-feira, dia 13, às 8h, na porta do Tribunal de Contas de Sergipe (TEC/SE). Neste dia, professoras e professores de 25 dos 26 municípios, que irão participam da ação em frente ao TCE, também paralisam suas atividades.

A decisão de realizar o ato e a paralisação conjunta foi tomada em assembleia unificada, entre professoras e professores dos 26 municípios afetados, realizada de forma virtual, na noite de quinta-feira, dia 6.

Veja abaixo quais municípios estarão presentes no ato e quais irão paralisar

Ação no TCE

Dos 74 municípios de Sergipe, nos quais o SINTESE representa professoras e professores das redes municipais, 26 ainda não atualizaram o valor nominal do piso salarial de 2024. O município de Aracaju está fora desta lista, pois, a entidade que representa professoras e professores na capital é o Sindipema.

Como os mandatos de prefeitas e prefeitos estão chegando ao fim, em 2024, professoras e professores dos 26 municípios que ainda não cumpriram com o que determina a Lei, decidiram somar forças e fazer um ato unificado em frente ao Tribunal de Contas de Sergipe.

O objetivo é dialogar e pedir aos Conselheiros do Tribunal que intervenham junto as prefeituras e exijam que a atualização nominal do piso salarial de 2024 seja paga. O valor nominal do piso salarial para o ano de 2024, estabelecido pela Portaria 61/2024, do Ministério da Educação (MEC), é de R$ 4.580,57.

A assessoria jurídica do SINTESE, vai protocolar medida cautelar para os Conselheiros do TCE responsáveis por fiscalizar cada um dos 26 municípios.

É urgente

Há urgência na resolução do problema. Diante das exigências estabelecidas pela Lei Eleitoral e pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), as gestões municipais têm até o dia 30 de junho para aprovar o Projeto de Lei que atualiza o valor nominal do piso salarial neste 26 município, ou seja, as prefeituras têm até esta data para enviar os Projetos de Lei para as Câmaras de Vereadores, para que os mesmos sejam aprovados e publicados em Diário Oficial.

É fundamental destacar que o SINTESE, desde de janeiro de 2024, enviou ofícios a cada um dos prefeitos e prefeitas dos 74 municípios em que o Sindicato representa o magistério. Além da cobrança por meio de ofícios, em todos os 26 municípios, ao longo destes seis meses, houve diversas ações do SINTESE, desde audiência com as gestões municipais até paralisações de professoras e professores, para cobrar de prefeitas e prefeitos o cumprimento da Lei.

É uma corrida contra o tempo e para que professoras e professores possam conseguir o que almejam é necessário mobilização, como coloca a diretora do Departamento de Bases Municipais do SINTESE, professora Emanuela Pereira.

“O nosso desafio, nesta reta final das gestões municipais, é conseguir atualização do piso salarial de 2024, em seu valor nominal. E temos um horizonte de tempo curto. Por isso, chamamos a assembleia para definir um ato conjunto com os 26 municípios em que prefeitos e prefeitas ainda não cumpriram com a Lei. Para construir uma luta forte e unificada é essencial a mobilização de professoras e professores e que eles se façam presentes neste dia D. Venham para o TCE, no dia 13 de junho. Procurem os representantes do SINTESE em seus municípios, procurem as nossas subsedes, precisamos ter um grande número de professoras e professores na frente do TCE, este é o momento de mostrar a nossa força. É agora!”, convoca a diretora do SINTESE.

A Lei

Vale sempre lembrar que a Lei Nacional 11.738, aprovada em 2008, que estabelece a atualização anual do piso para professoras e professores da toda a rede pública do Brasil, é taxativa ao afirmar que o piso salarial deve ser atualizado anualmente, sempre em janeiro.

Como dissemos, o valor nominal do piso para 2024 é R$ 4.580,57. Este é o valor mínimo inicial que deve ser pago mensalmente a professoras e professores com formação em nível médio, na modalidade normal, com jornada de 40 horas. O piso deve respeitar as diferenciações estabelecidas nos planos de carreira do magistério, a partir do nível de formação e tempo de serviço de cada professor.

Quais são os 26 municípios sergipanos que ainda não atualizaram o valor do piso 2024?

1-Arauá

2- Itabaianinha

3- Santa Luzia do Itanhy

4- Tomar do Geru

5- Pedrinhas

6- Salgado

7- Tobias Barreto

8- Cumbe

9- Feira Nova

10- Graccho Cardoso

11- Gararu

12-Itabi

13- Poço Redondo

14-Porto da Folha

15- Carmópolis

16- Divina Pastora

17- Japaratuba*

18- Pirambu

19- Barra dos Coqueiros

20- Santana do São Francisco

21- Amparo do São Francisco

22- Cedro de São João

23- Propriá

24- Neópolis

25- Pacatuba

26- Itaporanga d’Ajuda

 

* O município Japaratuba vai participar da mobilização e do ato em frente ao TCE, mas as professoras e professores não irão paralisar suas atividades.