Magistério público faz ato em frente ao Ipesaúde por melhorias no atendimento

91
“Há um ano espero a liberação de uma cirurgia e olha que é algo simples, se fosse mais complicado quem sabe onde estaria agora”, essa é a reclamação do professor Luiz Farias dos Anjos que aguarda a retirada de sinais na face. A professora Maria Barbosa também reclamou que há seis meses aguarda a liberação de cirurgia semelhante.
Mas um dos casos que chamou mais a atenção no ato, foi da professora Ângela e de seu esposo, Edson. Há cinco anos eles aguardam a liberação de uma cirurgia de prostatectomia (retirada da próstata).
Luiz, Maria Barroso, Ângela e Edson foram alguns que estiveram no ato que contou com a presença de professores e professoras da ativa e, principalmente aposentadas e aposentados, da capital e do interior, que estiveram no ato realizado pelo SINTESE na manhã desta terça, dia 13, em frente ao Ipesaúde.
Demora em marcação de consultas e exames, falta de médicos especialistas nos municípios, postos de atendimento em situação precária, poucas clínicas conveniadas no interior do estado, demora na liberação de cirurgias, atendimento por telefone e virtual precárias, essas e outras reclamações constam do dossiê entregue pelo sindicato ao Ipesaúde.
“Diariamente recebemos reclamações dos professores e professoras sobre problemas no atendimento do Ipesaúde, por isso entendemos a importância de estarmos aqui para cobrar o instituto que amplie e melhore a prestação de serviços, pois contribuímos mensalmente por ele e esperamos ter as nossas necessidades de saúde atendidas”, afirma o presidente do SINTESE, Roberto Silva dos Santos.
No documento entregue ao diretor presidente do Ipesaúde, George Trindade, o sindicato também solicita a constituição de um espaço de discussão com os servidores por região, a criação de uma urgência e emergência na zona sul de Aracaju e a realização de concurso público tanto para médicos quanto para outros profissionais.
Integrantes da direção e das coordenações de aposentados das subsedes foram recebidos pelo gestor do Ipesaúde. Ele disse que a demora na liberação das cirurgias e marcação de consultas se devem a demanda reprimida dos anos 2020 e 2021. Com relação ao aumento no número de clínicas e médicos conveniados, o instituto está com o credenciamento aberto durante todo o ano, o que falta é interesse em se credenciar.
No que diz respeito ao atendimento, o gestor informou que nos próximos dias um novo procedimento será implantado com vistas a melhorar a forma de contato entre os segurados e o instituto.
“Para nós a audiência com a gestão do Ipesaúde foi positiva, no sentido do compromisso assumido pelo instituto de se empenhar para melhorar o atendimento. Esperamos que o diálogo se transforme em ações efetivas para a melhoria do serviço”, afirmou o presidente do SINTESE.
A expectativa do sindicato é que a partir do documento entregue hoje haja, efetivamente, uma ampliação do serviço, que postos de atendimento em cidades importantes como Nossa Senhora da Glória e Neópolis sejam reativados e que o serviço de atendimento seja telefônico ou virtual realmente seja melhorado.