A luta não para: professoras e professores de Poço Redondo farão vigília na segunda e na terça

564

O jogo de “esconde-esconde” segue em Poço Redondo, mas essa brincadeira não tem graça. Após luta, mobilização e até ocupação da prefeitura professores e professoras esperavam que a prefeita, Aline Vasconcelos, apenas cumprisse com Lei e assegurasse a atualização do piso salarial para a categoria.

Mas não foi o que aconteceu. A prefeita segue se esquivando e se escondendo de seus compromissos. Por isso, professores e professoras de Poço Redondo continuam na luta e mais uma vez farão vigília por dois dias na tentativa de pôr fim no ‘joguinho’ sem graça da prefeita Aline.

Na segunda-feira, 6, a vigília será em frente a prefeitura da cidade, às 9h. Já na terça-feira, dia 7, a vigília será em frente à Câmara de Vereadores, às 8h:30.

Entenda o que aconteceu   

No início da semana parecia que enfim a espera havia chegado ao fim. A prefeita enviou o projeto para atualização do piso salarial de 2022, para professores e professoras da rede municipal de educação, à Câmara de Vereadores.

No entanto, o projeto de lei foi enviado sem as tabelas que asseguram que a atualização do piso se refletirá na carreira, respeitando direitos conquistados com muita luta por professores e professoras. Ao invés de garantir a Lei, o projeto, na forma como foi apresentado, podia ser uma grande armadilha. Com isso, o que parecia um “jogo” encerrado, acabou virando uma saída pela tangente para a prefeita mais uma vez voltar a “se esconder”.

Foi solicitado que a prefeita enviasse a Câmara de Vereadores as tabelas para que o projeto pudesse ser votado. Mas a prefeita Aline Vasconcelos simplesmente retirou o projeto da casa Legislativa municipal e até o momento nada enviou.

Sem resposta, os professores e professoras tentam abertura de canal de diálogo com a prefeita Aline Vasconcelos e seguem na tentativa de marcar audiência. Mas cadê a prefeita? Ninguém sabe, ninguém ouve, ninguém vê.

E para provar que a analogia ao “esconde-esconde” não é um exagero, não satisfeita em simplesmente não aparecer, a prefeita Aline Vasconcelos ainda antecipou as férias escolares do município na tentativa de desmobilizar professores e professoras da luta por seus direitos.

Mas a tentativa não surtiu efeito e, mesmo de férias, professores e professoras de Poço Redondo não se retiram da luta, seguem mobilizados e em vigília, como fez questão de colocar o coordenado geral do SINTESE na região do Sertão, professor Cloverton Santos.

“A prefeita achou que antecipando as férias dos professores iria enfraquecer a nossa luta. Ela se enganou. Seguiremos ocupando as ruas, seguiremos nossas mobilizações e seguiremos na luta por nosso direito. Ao não buscar a via do diálogo e negociação com o magistério, ao tentar se esconder, a prefeita Aline mostra o seu despreparo e também o seu descaso com a população e com a educação de Poço Redondo. O SINTESE segue aberto a negociação, não estamos aqui como inimigos. Estamos aqui fazendo o nosso papel de entidade sindical e lutando pelos direitos dos professores. Esperamos que a prefeita Aline faça também o seu papel e cumpra com a Lei”, coloca o dirigente do SINTESE.  

Como sempre, vale lembrar que, o piso salarial é assegurado a professores e professoras da rede pública de todo o Brasil, desde 2008, pela Lei Federal 11.738, que diz que o piso deve ser atualizado anualmente sempre em janeiro. A atualização deve ser feita de forma automática e assegurando os direitos da carreira, cumprindo também decisões do STF e STJ.