Magistério de Simão Dias paralisa as atividades dias 25 e 26

285

Os professores e professoras das escolas municipais de Simão Dias paralisam as atividades dias 25 e 26 (quarta e quinta). A paralisação é por conta da proposta absurda apresentada pelo prefeito Cristiano Viana para a atualização do piso de 2022.

O magistério simão-diense espera que a gestão municipal reabra o processo de negociação para que sejam encontradas alternativas para a implementação da revisão do piso sem que os professores e professoras percam direitos.

A agenda de luta começa a partir das 8h com ato em frente à prefeitura. No dia 26, às 9h as educadoras se reúnem em assembleia no auditório do Colégio Estadual Milton Dortas.
A proposta consiste em alterar o plano de carreira e reduzir a percentuais irrisórios, a diferença dos valores pagos a professores e professoras entre seus níveis de formação acadêmica.

Na proposta feita pela prefeitura, um professor pós-graduado, por exemplo, só teria 1,24% de ganho real em seu salário. Tal proposta é inaceitável, a lei do piso tem o objetivo primordial de valorizar, em termos salariais, o magistério e não para retirar direitos.

“A administração de Cristiano Viana, pelo visto, quer seguir a cartilha do governo Belivaldo Chagas e quer retirar direitos dos professores e professoras, não vamos aceitar isso. É possível outras alternativas, basta que o processo de negociação seja reaberto.

É sempre bom lembrar que a Lei 11.738/2008 estabelece que a atualização do piso deve ser feita anualmente no mês de janeiro. O índice a ser aplicado é derivado da soma dos percentuais de crescimento da receita do Fundeb dos dois anos anteriores, ou seja, o incremento do Fundeb dos anos de 2020 e 2021 resultou em 33,24%.