Em Nossa Senhora da Glória professores e professoras repudiam governo do estado e prefeitos pela destruição carreira do magistério

225

Quem maltrata professor, não elege sucessor! Essas foram as palavras de ordem de professoras e professores da rede estadual de vários municípios e das redes municipais de Nossa Senhora da Glória e Canindé de São Francisco no ato realizado pelo SINTESE na feira Glória.

A cidade sertaneja foi escolhida para sediar o segundo ato mesvesário das leis que destruíram de uma vez o plano de carreira do magistério estadual e também pela região ter duas administrações, a de Nossa Senhora da Glória e a de Canindé de São Francisco, que seguiram o péssimo exemplo do governo estadual e conseguiram aprovar projetos com apoio dos vereadores que retiraram direitos dos professores com a justificativa de garantir a atualização do piso.

“Em maio, trouxemos o ato para Nossa Senhora da Glória para o povo do Sertão saber que o governador Belivaldo Chagas aliado aos 14 deputados estaduais destruíram a carreira dos professores e professoras das escolas estaduais e isso será danoso para a Educação”, afirma o presidente do SINTESE, Roberto Silva dos Santos.

Durante o ato, os professores e professoras distribuíram panfletos e dialogaram com feirantes e consumidores sobre a ação do governo do Estado, do prefeito de Canindé e de Glória.

Professoras aposentadas também participaram do ato e reforçaram que só a luta traz conquistas, pois foi a constante pressão que resultou na revogação do confisco de 14% das aposentadorias e pensões anunciado pelo governador na semana passada. “Não tenham dúvida, e lutando que conseguimos as conquistas para o magistério”, afirma a vice-presidenta do SINTESE, Ivônia Ferreira.

Destruidores de carreiras

Em Nossa Senhora da Glória, a prefeita Luana Oliveira para ‘garantir’ a atualização do piso reduziu percentuais da progressão horizontal, também conhecida como mudança de nível, que já faziam parte da carreira dos professores e professoras, ou seja, tirou do professor algo que já era direito e propaga pela cidade que fez a revisão do piso, o que não é verdade.

Já em Canindé de São Francisco, o prefeito Weldo Mariano também retirou direitos e seguir a cartilha de Belivaldo Chagas e incorporou a gratificação de regência de classe de 30% ao vencimento inicial e ainda teve a coragem de dizer ao povo de Canindé que atualizou o piso, como já diz a sabedoria popular, fazer bondade com as coisas dos outros é muito fácil.

“A prefeita de Glória e o prefeito de Canindé, como o governador Belivaldo Chagas são péssimos exemplos de gestores para o magistério, pois na propaganda dizem que valorizam o magistério, mas na realizada destroem carreiras e massacram os educadores e educadoras”, disse Cloverton Santos, coordenador geral da subsede do SINTESE no Sertão.

O próximo ato é em Itabaiana

Seguindo a agenda de atos, o próximo será dia 22 de junho, uma quarta-feira, na cidade de Itabaiana. Como foi decidido na assembleia o dia será marcado por paralisação das escolas estaduais.

Os professores e professoras de Aracaju e da região Metropolitana que quiserem participar do ato, o SINTESE irá disponibilizar ônibus. Para fazer parte da caravana de luta ligue para 2104-9800, solicite falar com o departamento de Base Estadual e deixe seu nome.