SINTESE faz entrega das algemas no Ministério Público Federal

278

Membros da direção do SINTESE acompanhados da deputada estadual Ana Lúcia, representantes do movimento estudantil e de professores da rede estadual fizeram a entrega de 15 pares de algemas em audiência com o procurador Heitor Alves Soares Procurador Chefe em exercício do Ministério Público Federal.

“As algemas representam mais uma colaboração dos professores a este órgão que tem atuado ativamente contra a corrupção e mostra a posição dos professores na garantia dos direitos dos estudantes de ter uma alimentação escolar adequada”, apontou a presidenta Ângela Maria de Melo.

O procurador disse que está sendo realizado um trabalho de investigação conjunto com a Polícia Federal e o Ministério Público Estadual para que, no caso da alimentação escolar, se tenha uma efetiva melhora na aplicação do Programa Nacional de Alimentação Escolar no Estado. Para ele entrega das algemas representou um sentimento que tomou conta da sociedade sergipana. “Este ato é uma mostra do quanto está indignada a sociedade sergipana em relação à alimentação escolar. A entrega das algemas representa a simbologia da punição por um ato criminoso e a sociedade quer ver a justiça sendo feita”.

Ele disse ainda que as investigações prosseguirão e que os resultados serão apresentados em entrevista coletiva.

Ação parlamentar

A audiência foi intermediada pela deputada Ana Lúcia que atendeu a uma solicitação do sindicato. “O SINTESE há mais de 20 anos é recorrente nas denúncias, eles pediram e eu mediei essa audiência com o procurador Heitor Soares para mostrar a vontade política de todos os professores de ver realmente esse esquema desbaratado e todas as pessoas punidas (gestores, empresários), com o rigor da lei para que seja dado o exemplo e tais fatos nunca mais aconteçam”, disse a deputada.

Denúncias não são novidade

As denúncias sobre problemas na alimentação escolar não são novidade. Diuturnamente o SINTESE têm acionado os órgãos fiscalizadores apontando irregularidades tanto no aspecto operacional quanto no uso dos recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar. “As denúncias tomaram uma repercussão nacional com a sua divulgação no programa televisivo e temos a expectativa de que a partir desta mobilização os culpados pelo esquema sejam punidos e que tais situações não se repitam”, aponta Ivonete Cruz, vice-presidenta do SINTESE.

A expectativa do sindicato é de que, uma vez identificados empresários e gestores públicos responsáveis pela organização criminosa agora conhecida como os “Senhores da Fome”, sejam eles punidos exemplarmente na forma da lei, por isso a doação dos 15 pares algemas, aos membros dessa quadrilha, bem como a todos os corruptos que desviam recursos públicos.